Como as PMEs poderão se beneficiar com a Internet das Coisas?

Por Redação | 25.07.2016 às 16:15

A Internet das Coisas (IoT - sigla que vem do inglês “Internet of Things”) é uma revolução que já começou a acontecer ao permitir conectar aparelhos eletrônicos do dia a dia (como eletrodomésticos, por exemplo) à internet. Com a IoT, as casas inteligentes são uma realidade cada vez mais próxima, mas o setor empresarial também deverá se beneficiar (e muito!) com essa tecnologia.

E no universo empresarial a revolução da IoT também será um marco. De acordo com uma pesquisa recentemente realizada pela Unidade de Inteligência Economista (EIU), 96% dos líderes de negócios esperam que suas companhias já usem a Internet das Coisas de uma forma ou de outra ainda em 2016. Além disso, 60% dos 779 líderes de negócios globais que foram ouvidos pela pesquisa concordam que empresas que demorarem a se integrar com a IoT serão deixadas para trás por seus concorrentes.

Pensando nas pequenas e médias empresas, Stephan Romeder, executivo da Magic Software Europe, elaborou uma relação com dez exemplos de como as PMEs poderão utilizar a Internet das Coisas para se manterem competitivas no mercado em um futuro que não está muito distante.

1) Design e Marketing de Produtos

Com a IoT, sensores podem identificar e relatar exatamente onde, quando e como um determinado produto é usado para ajudar em processos de design e marketing. Coletar dados em tempo real pode se tornar mais barato e mais rápido, além da IoT possibilitar maior precisão na obtenção desses dados do que como fazemos atualmente com as pesquisas de mercado e pesquisas com o consumidor.

2) Manutenção de Produtos

A IoT será muito útil para monitorar desgastes de componentes, ajudando a cortar custos de manutenção e operação, além de identificar potenciais falhas de equipamentos antes deles serem danificados. Então se uma máquina estiver prestes a apresentar algum defeito, com a IoT os empresários poderão se antecipar e providenciar seu reparo antes que o estrago seja feito.

3) Vendas

As PMEs podem usar a IoT para prever quando seus clientes precisarão de peças de substituição para seus equipamentos e oferecê-las com antecedência.

4) Engenharia de Produto

Com a IoT será possível monitorar as condições das máquinas, configurações e seu uso, podendo antecipar ajustes que podem melhorar as escolhas de materiais e designs futuros.

5) Logística

Conectados com a internet, contêineres de cargas podem receber dados em tempo real sobre a localização de um pacote, ou ainda qual sua frequência de manuseio ou como está sua condição para ser transportado. As PMEs podem aumentar sua eficiência logística ao conectar essas informações com um sistema de gerenciamento.

6) Processos de Fabricação

A IoT permite monitorar a condição, as definições e o uso de equipamentos de produção, identificando problemas que possam impactar a linha de produção e aumentando a eficiência dos processos de fabricação.

7) Manutenção de Frota

PMEs que mantêm frotas de veículos poderão usar a IoT para monitorar velocidade, quilômetros rodados por litro de combustível, número de paradas e até mesmo avaliar a “saúde” dos veículos em serviço. Com isso, reparos podem ser antecipados evitando interrupções inesperadas e atrasando a logística da companhia.

8) Transporte

Com a IoT, as empresas poderão oferecer serviços para promover a tendência de cidades inteligentes por aí. Por exemplo, é possível criar pontos de ônibus inteligentes que monitoram o tráfego das linhas que por ali passam, ou ainda construir parquímetros inteligentes que, conectados via Wi-Fi, fornecem aos motoristas informações em tempo real sobre onde há vagas disponíveis pela cidade.

9) Agricultura

PMEs que atuam no setor da agricultura poderão usar a IoT para monitorar fatores como a temperatura do ar e do solo, a velocidade do vento, o nível de umidade do local, os níveis de radiação solar, a probabilidade de chuva, entre vários outros itens que farão a diferença na hora de melhorar a produção de alimentos desde o estágio de plantação até a colheita.

10) Medicina

Médicos e hospitais poderão coletar e organizar dados por meio de dispositivos conectados. Por exemplo, dispositivos conectados à internet podem ser instalados nas casas dos pacientes, que também podem usar dispositivos vestíveis como monitores de saúde para coletar e integrar dados em tempo real. Com isso, os profissionais de saúde terão mais informações para avaliar o quadro de saúde do paciente não somente considerando os sintomas apresentados, mas analisando-os em combinação com seus hábitos.

Fonte: Computerworld