Com US$ 18,4 bilhões, Apple quebra recorde com lucro histórico no trimestre

Por Redação | 27 de Janeiro de 2016 às 09h28

Os 1 bilhão de dispositivos ativados não é a única razão para a Apple comemorar. Além da marca histórica, a empresa também registrou lucro recorde no último trimestre de 2015, provando que as incertezas quanto à nova geração de iPhones eram todas infundadas. Durante a divulgação de seus relatórios fiscais, a companhia revelou uma receita de US$ 75,9 bilhões e, mais importante do que isso, um lucro de US$ 18,4 bilhões.

Esse é o maior lucro obtido por uma única companhia em apenas um trimestre. Tanto que a recordista anterior era a própria Apple, que havia obtido um ganho de US$ 18 bilhões no mesmo período do ano anterior. Assim, ela não apenas quebrou a própria marca como ainda se tornou a companhia com o primeiro trimestre de um ano mais lucrativo de toda a história. E você achando que eram apenas algumas cifras absurdas — na verdade são, mas muito mais que isso também.

Parte desse desempenho está no sucesso dos novos iPhone 6s e 6s Plus. Ainda que muita gente apostasse em uma baixa no interesse do consumidor com a nova geração de smartphones, eles venderam muito bem, totalizando 74,8 milhões de unidades no último trimestre. Esse é um número um pouco abaixo das 75 milhões de vendas que a Apple havia projetado, mas é uma diferença tão mínima que não chega a preocupar os acionistas e muito menos o corpo executivo da Maçã.

iPhone 6 6s

Em compensação, esse bom desempenho no início do ano fiscal pode trazer consequências no restante do período. Afinal, é virtualmente impossível para a empresa manter essa marca ao longo dos próximos trimestres, então é bem possível que tenhamos uma queda daqui para frente. E a própria Apple sabe disso, tanto que prevê uma receita entre US$ 50 bilhões e US$ 53 bilhões entre janeiro e março — uma queda em relação ao que ela havia apresentado até mesmo em 2015, quando alcançou US$ 58 bi.

Outra preocupação é com o iPad, que segue em queda. Mesmo com o lançamento do badalado iPad Pro, a linha de tablets vendeu somente 16,1 milhões de dispositivos, o que representa uma queda de 21% em relação ao ano anterior. Isso mostra que a chegada de uma versão em tamanho família e repleta de recursos não foi o suficiente para alavancar os números e mostra que é preciso fazer algo um pouco mais enérgico para rever a situação. O Mac também teve uma diminuição nas vendas, ainda que bem menos expressiva, indo de 5,5 milhões de unidades para 5,3 milhões.

Via: Games Industry

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.