Com pequenos provedores, Fortaleza puxa crescimento da Level 3 no Nordeste

Por Rafael Romer | 07 de Abril de 2016 às 19h24
photo_camera Reprodução

Com sua posição geográfica próxima à África, Europa e Estados Unidos, e a distribuição de dados através de sete cabos submarinos de fibra ótica instalados na cidade, Fortaleza é considerada um ponto estratégico para conexão de rede brasileira . Para a multinacional de telecomunicações Level 3, no entanto, a capital cearense tem ido além e se tornando um hub de acesso a outros mercados do norte do Brasil e uma cidade crescimento em um momento no qual a indústria está passando por transformações causadas pela instabilidade econômica do país.

"Essas dificuldades abrem uma série de oportunidades", comentou o Diretor Executivo da empresa, Marcos Malfatti. "Muitas empresas estão revendo a infraestrutura e chegam à conclusão que terceirizar o ambiente de processamento de dados é mais barato que manter um centro de dados, as máquinas, ar condicionado".

De acordo com Malfatti, Fortaleza sempre foi um pólo importante da Level 3 no país e é um dos centros de infraestrutura da empresa no Brasil, servindo como entroncamento de fibra ótica, ao lado do Rio de Janeiro e do Santos (SP).

Ainda assim, a exploração dos mercados do Nordeste e Norte a partir da capital cearense não foi feita pela empresa até quatro anos atrás, quando ela começou a olhar a região com mais cuidado.

"Até três ou quatro anos a gente vinha explorando negócios em São Paulo e no Rio, mas não o mercado de Fortaleza", avaliou o executivo. "Agora, a gente tem feito algumas explorações do ponto de vista comercial, já que já tínhamos a infraestrutura em Fortaleza. É um espaço grande e importante que nós começamos a utilizar".

Um dos setores que têm crescido no Nordeste e Norte é o das redes de distribuição de conteúdo (CDNs) e o de pequenos e médios provedores (IPSs), que e ainda tem uma grande carência de infraestrutura para a distribuição mais rápida de conteúdo pelas cidades da região.

Segundo o diretor, no ano passado, dos 60 vendedores diretos da empresa no Brasil, a campeã de vendas foi a responsável por Fortaleza. No total, 90% dos negócios da empresa no nordeste têm sido de demanda por mais conexão IP.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.