Com nova classe de ações, Zuckerberg ganha ainda mais controle sobre o Facebook

Por Redação | 20 de Junho de 2016 às 22h56
photo_camera Divulgação

Poucas semanas após o conselho do Facebook ter mostrado preocupação sobre o controle de Mark Zuckerberg em relação à empresa, tudo indica que seus principais acionistas entraram em um consenso: decidiram criar uma nova classe de ações sem direito a voto, o que vai permitir que Zuck abra mão de suas ações sem perder controle da companhia fundada por ele.

Vamos explicar. Em abril deste ano, a rede social passou por um intenso processo de reestruturação interna que promoveu mudanças no corpo administrativo do Facebook. Entre elas estavam dois novos tipos de ações – as de classes A e B –, e ambas necessitam de poder de voto em eventuais tomadas de decisão.

Ao longo dos últimos dois anos, o presidente-executivo do Facebook adquiriu várias ações, mas manteve apenas aquelas que possuem poder de voto. Para se ter uma ideia, até o início de junho, Zuckerberg detinha cerca de 4 milhões de ações classe A e por volta de 419 milhões de ações classe B, que em conjunto representam cerca de 53,8% do poder de voto total em circulação no Facebook.

O que preocupava os acionistas era justamente o fato de Zuckerberg deter o maior número de ações com poder de voto. Para o conselho de acionistas da empresa, isso poderia prejudicar a entidade caso Zuck decida deixar o comando da companhia em algum momento no futuro, pois mesmo sem estar à frente da corporação ele teria controle majoritário de voto sobre ela. O assunto foi tão sério que, no começo deste mês, o conselho enviou um documento à U.S. Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado nos Estados Unidos, pedindo que os acionistas votassem por mudanças.

No entanto, esse cenário mudou. E Mark Zuckerberg, que já tinha grande controle sobre o Facebook, terá ainda mais autoridade nos próximos anos. Isso porque os próprios acionistas aprovaram nesta segunda-feira (20), durante a assembleia geral da empresa, a criação de uma nova categoria de ações: as de classe C. Para cada ação Classe A e Classe B detida por acionistas serão emitidas duas ações Classe C, sendo que estas serão negociadas publicamente sob um novo código.

Agora com os papéis de Classe C, Zuckerberg pode vender suas ações sem direito a voto, mas manter as ações votantes Classe A e Classe B que, na prática, permitiriam a manutenção do controle do Facebook. "Pretendo ficar envolvido e estar no comando do Facebook por muito tempo", disse Zuckerberg na reunião com acionistas.

Segundo o americano de 32 anos, deter milhões de ações servirá para ajudar causas filantrópicas no futuro, já que ele e sua esposa, Priscilla Chan, vão doar 99% de suas ações na rede social (cerca de US$ 45 bilhões) ao longo de suas vidas para projetos filantropos.

Fonte: Reuters

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.