Co-fundador da Apple, Steve Wozniak é a favor da “quebra” de grandes empresas

Por Rafael Arbulu | 29 de Agosto de 2019 às 19h20
Tudo sobre

Steve Wozniak

Saiba tudo sobre Steve Wozniak

Steve Wozniak concedeu entrevista recentemente à agência de notícias Bloomberg — e o co-fundador da Apple não se acanhou de disparar diversas críticas ao mercado de grandes empresas.

“Eu sou fortemente contra poderes de monopólio sendo usados de maneira injusta, anticompetitivas — não se abrindo para um mundo de concorrência igualitária”, ele disse ao programa Bloomberg News. “(...) e eu acho que isso vem acontecendo muito em Big Tech”.

Big Tech” é um termo usado pela indústria para se referir às grandes corporações do setor, sobretudo empresas de produtos voltados ao consumidor, com abrangência internacional, como Samsung e Apple. Esta última, aliás, também não escapou das críticas de seu co-fundador:

“Eu gostaria muito que a Apple, por conta própria, tivesse se separado muito tempo atrás e gerado divisões independentes, em locais remotos, permitindo que elas pensassem de forma independente, da mesma forma que fez a Hewlett Packard [HP] quando eu trabalhei lá”, ele disse. “Eu acho que as Big Tech ficaram grandes demais, tornaram-se forças poderosas demais em nossas vidas e isso tirou nossas próprias escolhas”.

Um dos pontos mais criticados por “Woz” foi a questão da honestidade. Ele acha que, devido ao tamanho de certas companhias, o fator de transparência para com seus usuários acabou ficando em segundo plano, e as empresas não têm sido honestas com quem as consome. Ele próprio já disse, em julho deste ano, que as pessoas deveriam abandonar o Facebook — e ele fez isso “há muito tempo”, conforme admitiu na época.

“Se você é levado a crer que está ganhando um determinado nível de proteção — da sua segurança, seus dados e seus conhecimentos sobre você mesmo — então você deveria ter essa proteção. Se você envia um e-mail à sua esposa e diz algumas coisinhas do tipo, ‘Ei, minha cor favorita é verde’, bom, isso deveria ser meio privado. É como se você estivesse cochichando ao ouvido. E não deveria ser assim, com todo mundo lá fora tendo acesso e ouvindo [esse cochicho]”, ele comentou.

Nem tudo foi crítica com Wozniak, porém, que aproveitou para exaltar a Apple em sua capacidade de se desmembrar em vários produtos distintos, atuando em várias indústrias. Ele foi especialmente elogioso sobre o Apple Pay e o Apple Card, ressaltando suas “facilidades”.

“Tornar a vida mais fácil é o que nos tornou conhecidos quando só fazíamos computadores. Agora com o Apple Pay e o cartão de crédito da Apple, tudo ficou ainda mais seguro”, ele disse.

No que tange à política, Wozniak admitiu não ser o maior conhecedor do assunto, mas isso não o impede de ter opiniões sobre o quadro global atual. O icônico especialista mostrou especial desprezo pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recomendando a Tim Cook, atual CEO da Apple, que tivesse “diplomacia” quando lidasse com o governante do país.

“Eu não acho que as discussões serão minimamente produtivas com esse presidente”, ele disse à Bloomberg. “Eu jamais criaria um filho meu para se comportar assim, agindo sob a percepção de ‘Eu sou a pessoa mais importante do mundo, sou o único cujo pensamento é correto’”.

A entrevista completa foi dividida em três partes e já está disponível no YouTube da Bloomberg News.

Fonte: Bloomberg News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.