Cientistas estão perto de conseguir produzir veias artificiais

Por Redação | 02 de Outubro de 2015 às 08h20

A maioria das tentativas de criar veias artificiais não chegou nem perto de replicar os complexos processos orgânicos, mas pesquisadores da Universidade Queen Mary, de Londres, parecem estar prestes a mudar isso.

Eles desenvolveram uma técnica que permite que proteínas e peptídeos passem por um processo de automontagem e criem formas tubulares que poderiam ser transformadas em artérias, veias e estruturas semelhantes. Neste processo, não há nenhum tipo de impressão 3D ou moldes envolvidos – a única coisa que os cientistas fazem é guiar a forma como o material se constrói.

Esta nova pesquisa pode ter implicações importantes nos esforços para criar tecidos artificiais e órgãos para transplantes. Isso porque, embora o processo de criação do tecido possa funcionar para criar vasos artificiais, os pesquisadores também acreditam que ele pode ser utilizado para desenvolver outros tipos de tecidos, tais como a barreira hematoencefálica, uma estrutura que protege o sistema nervoso central de substâncias químicas presentes no sangue.

Os cientistas também poderiam utilizar essas veias para estudas doenças como o Alzheimer em condições muito próximas da realidade, algo que pode resultar em melhores tratamentos. A técnica também poderia contribuir para a criação de implantes melhores.

Veias artificiais

Processo de automontagem com proteínas e peptídeos (Imagem: Universidade Queen Mary)

Via Engadget