Cibercriminosos miram pequenas empresas em 2017

Por Redação | 09.02.2017 às 21:29
photo_camera Anjos Guardiões

As pequenas e médias empresas poderão ser um dos grandes alvos dos cibercriminos em 2017. Segundo a G Data, fornecedora de soluções antivírus, o facto deste tipo de empresa investirem menos em segurança digital e representarem a maior parte do tecido empresarial a nível global as torna um alvo muito apetecível para os criminosos cibernéticos.

De acordo com os especialistas da G Data, esta é uma tendência que vem se firmando nos últimos anos depois que o sequestro de dados corporativos por meio da contaminação das redes corporativas via ransomware, que se tornou a principal fonte de receitas dos criadores de vírus de computador. Por este motivo, novas e mais sofisticadas variantes de ransomware deverão surgir ao logo do ano.

“Qualquer empresa é alvo do ransomware, mas as pequenas são mais atrativas para criminosos porque elas formam a maioria na econômica mundial e são mais frágeis em termos de segurança digital”, afirma Tim Berghoff, evangelista em segurança da G Data. “Além disso, a demanda por privacidade por parte usuários domésticos e empresariais, o crescimento da Internet das Coisas em vários setores, vai impulsionar os debates sobre como elevar a proteção de dados. Os ataques aos dispositivos móveis e iOT estão se tornando mais frequentes, incluindo, por exemplo, os roteadores e redes Wi-Fi, o que oferecerá aos criminosos mais opções de ataques”.

Para garantir às pequenas e médias empresas maior proteção contra o ransomware e outras modalidades de malware, a G Data, representada no Brasil pela FirstSecurity, oferece uma linha de produtos de segurança que inclui o G Data ClientSecurity Business, G Data AntiVirus Business, G Data EndpointProtection Business, G Data MailSecurity. Os usuários domésticos a empresa oferece o G Data AntiVirus, G Data InternetSecurity e G Data TotalProtection.