Chromebook Pixel 2, do Google, é descontinuado

Por Redação | 30 de Agosto de 2016 às 18h04

Quem procurava um aparelho do próprio Google para entrar no mundo do Chrome OS pode ter suas expectativas frustradas, já que a empresa confirmou que está descontinuando o Chromebook Pixel 2. De fabricação própria, o dispositivo foi lançado em fevereiro de 2015 e era considerado como um dos melhores custos-benefícios da categoria.

O notebook foi liberado originalmente em duas versões: a comum, agora descontinuada, que custava US$ 1.299, e uma mais simples, voltada para setores de educação, que saia por US$ 999. Enquanto a segunda foi descontinuada oficialmente em abril, a segunda começa apenas agora a sumir das lojas, com a oficial Google Store sem mais nenhuma unidade do equipamento para venda. Outras gigantes do ramo, como a Best Buy, também não estão mais vendendo o dispositivo.

O Google confirmou a informação por e-mail, afirmando que não tem intenção de renovar os estoques do Pixel 2, mas que continua comprometida com sua linha de notebooks. Entretanto, ela ainda não anunciou um sucessor ao dispositivo. No momento, quem quiser adquirir um Chromebook deve optar pelos produtos de parceiros de fabricação, como Samsung ou Acer, ou pelo Pixel C, um híbrido que faz as vezes de computador com Chrome OS e tablet Android.

Quando um aparelho é descontinuado, ele deixa de ser produzido pela empresa responsável. Isso não significa que o suporte ou atualizações deixam de aparecer para ele, mas que o dispositivo, em si, não será reposto nas lojas. Os dispositivos eventualmente disponíveis nas prateleiras serão os últimos e, após a venda deles, não será mais possível encontra-lo novo para comprar.

Uma nova geração do Pixel, entretanto, pode até estar a caminho. Sabe-se que o compromisso do Google com a linha não é apenas verbal, e que a empresa continua trabalhando nela, inclusive, abrindo uma vaga no começo do ano, para contratação de um engenheiro de controle de qualidade.

O grande diferencial do Pixel 2 em relação a outros dispositivos com o sistema operacional Chrome OS era a tela de toque, além da bateria de alta duração e da boa performance, mesmo com o sistema não sendo tão otimizado assim para as touchscreens. O Google, por outro lado, nunca revelou números de vendas do equipamento, sendo assim, não fica exatamente claro o motivo por trás da descontinuação.

Fonte: Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.