China ameaça proibir vendas de iPhones se Trump iniciar 'guerra comercial'

Por Redação | 14 de Novembro de 2016 às 14h59

A surpreendente vitória de Donald Trump nos Estados Unidos vem acompanhada de uma série de temas polêmicos que ele defendeu durante sua campanha. Um deles, diz respeito a uma tarifa de 45% sobre as importações chinesas, o que está sendo visto como uma guerra comercial contra o país.

E, caso a tarifa seja imposta, um jornal estatal chinês afirmou nesta segunda-feira, 14, que “as vendas de automóveis e iPhones dos Estados Unidos na China vão sofrer um revés”, segundo informou o The Guardian. Ou seja, a Maçã poderá ser proibida de vender seus dispositivos em território chinês.

A publicação também afirmou que vai interromper as importações de soja e de milho e que poderá limitar o número de estudantes chineses nos Estados Unidos. Já a indústria aérea, outro setor no qual há grandes negócios entre EUA e China, não deve sofrer nenhuma medida punitiva.

“O novo presidente será condenado por sua imprudência, ignorância e incompetência e deverá lidar com as consequências”, diz o jornal estatal, que afirma que "nenhum dos presidentes anteriores foram ousados o suficiente para lançar uma guerra comercial total contra a China".

O fato de o presidente eleito cumprir suas ideias protecionistas já foi questionado. O especialista chinês da Societe Generale, Wei Yao, acredita que uma tarifa alta está fora de questão, e lembra que a projeção do banco inglês Barclays é de tarifa de 15% sobre o comércio com a China. Vamos aguardar os próximos capítulos.

Fonte: The Guardian

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.