CEO da Toshiba pode ser afastado após denúncias de fraude contábil

Por Redação | 16.07.2015 às 17:48

Um escândalo de fraude bancária parece estar prestes a atingir a Toshiba e deve resultar na saída de seu CEO, Hisao Tanaka, além de uma multa que pode variar de US$ 2,4 bilhões a US$ 3,2 bilhões. De acordo com fontes internas, que revelaram as informações à imprensa, a diretoria da companhia estaria sendo investigada por, supostamente, maquiar os números de forma a exibir lucros maiores do que os efetivamente obtidos por ela.

As denúncias seriam relativas aos resultados dos últimos seis anos. A modificação não seria uma prática constante, mas aplicada sempre que algum tipo de resultado que pudesse parecer desfavorável estivesse prestes a surgir. Em um dos casos, por exemplo, os lucros da Toshiba teriam sido multiplicados para ¥ 170 bilhões, mais do que o triplo da estimativa inicial, que era de ¥ 51 bilhões.

Uma empresa externa já teria sido contratada para investigar os registros da Toshiba e localizar exatamente onde a manipulação teria sido feita, se é que ela realmente existiu. Enquanto isso, em uma decisão que desagradou aos acionistas e executivos, o pagamento de dividendos e bônus foi suspenso enquanto o processo acontece, de forma a garantir que tudo seja feito da maneira devida de aqui em diante.

Além da maquiagem dos números em si, outro foco da investigação seria o papel desempenhado pelos executivos de alto escalão da Toshiba em toda a situação. A ideia é descobrir se eles sabiam o que estavam fazendo e tomaram atitudes deliberadas para melhorar os resultados da empresa. Os primeiros resultados sobre os trabalhos devem ser divulgados nas próximas semanas.

Apesar de a notícia sobre a investigação estar surgindo apenas agora, os indícios de que havia algo de errado com a contabilidade da Toshiba não são novidade e já datam de abril deste ano. As ações da empresa, desde então, já caíram mais de 27% e todo o caso surge em um momento bastante complicado, enquanto o próprio governo do Japão realiza uma série de esforços e publica normas para obrigar suas empresas a terem um foco maior na transparência e na governança corporativa.

Desastres

Apesar de normalmente ser lembrada como uma empresa de tecnologia, a Toshiba opera também em diversos outros segmentos. Os atuais problemas contábeis teriam como uma de suas principais causas, por mais incrível que possa parecer, o incidente ocorrido em 2011 na usina nuclear de Fukushima, na ilha de Honshu, duramente afetada pelo terremoto e conseguinte tsunami que atingiu a região naquele ano, resultando em um acidente nuclear.

O caso chamou a atenção internacional e, na mesma medida em que governos e autoridades fecharam o cerco sobre essa forma de geração de energia, a Toshiba viu os resultados de sua divisão nuclear caindo. Isso a levou a fixar metas de faturamento e lucros mais altas para outros setores, como o de Internet das Coisas e outros produtos de tecnologia, como forma de compensar as perdas. As medidas acabaram encorajando, também, as fraudes contábeis de forma a fazer com que a companhia não perdesse mais e mais.

Além de Tanaka, a expectativa é que outros membros do topo da diretoria da companhia também deixem seus cargos. A saída do vice-presidente do conselho de acionistas, Norio Sasaki, também já seria recomendada pela firma responsável pela investigação, em mudanças que devem acontecer em setembro.

Oficialmente, porém, a Toshiba não confirmou nem revelou mudança alguma em seu quadro gerencial, afirmando apenas que vai aguardar a conclusão das investigações e a apresentação dos resultados para tomar atitudes. As informações sobre todo o caso foram divulgadas de forma extra-oficial, uma vez que todo o processo corre em segredo.

Fonte: Reuters