CEO da Intel desiste de realizar angariação de fundos para Donald Trump

Por Redação | 02 de Junho de 2016 às 11h14

Brian Krzanich havia planejado receber convidados em sua casa para arrecadar fundos a Donald Trump, candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano. No entanto, Krzanich e sua companhia são mundialmente reconhecidos por lutarem pela diversidade na indústria da tecnologia, e, portanto, seria no mínimo contraditório apoiar a candidatura de alguém que frequentemente faz discursos extremistas, como, por exemplo, dizendo que imigrantes mexicanos são todos estupradores. Sem explicações públicas, o CEO cancelou o evento e, na mesma data, Trump já teria agendado participar de um rally em San Jose.

Apesar da Intel ser uma empresa ativista no quesito diversidade étnica e de gêneros no mercado tecnológico, a companhia não tem um posicionamento político exatamente liberal. Ao analisar as doações que a companhia fez a partidos e representantes políticos, 55% de um total de mais de US$ 780 mil foram destinados a congressistas republicanos, sendo o restante sido entregue a líderes democráticos. Além disso, a empresa também teria doado US$ 10 mil para um líder republicano, US$ 5 mil para um senador do mesmo partido, e mil dólares para um advogado pró-vida.

Ainda, a fabricante norte-americana também teria feito doações a diversos grupos republicanos em 2015, incluindo grupos que fornecem recursos a membros do congresso dos Estados Unidos que são do Partido Republicano. Do outro lado, ao lado democrático a companhia teria contribuído com US$ 10 mil para alguns senadores.

Após essas informações terem sido publicadas pelo TechCrunch nesta quarta-feira (01), um porta-voz da companhia declarou que “Brian Krzanich não endossa nenhum candidato presidencial”. Ele disse, ainda, que a Intel está interessada em “envolver ambas as campanhas em um diálogo aberto sobre questões importantes para a indústria da tecnologia”.

Krzanich faz crescer a lista de personalidades do ramo tecnológico que não apoiam Donald Trump na corrida pela presidência dos Estados Unidos. Em março, Tim Cook se reuniu com Larry Page, Elon Musk e outros empresários de peso para discutir a candidatura de Trump, e Jeff Bezos respondeu a um comentário ofensivo feito pelo republicando dizendo que aquela não seria uma postura adequada a alguém que quer ser presidente. Stephen Hawking declarou que não compreende a popularidade de Trump, chamando-o de demagogo, e até o grupo ciberativista Anonymous declarou guerra contra o candidato, ameaçando sabotar sua campanha.

Fonte: TechCrunch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.