Carro da Tesla estava acima do limite de velocidade no momento do acidente

Por Redação | 26 de Julho de 2016 às 20h11

O acidente fatal envolvendo um carro Tesla Model S, no dia 7 de maio, ainda vai dar muito o que falar. Desta vez, a National Transportation Safety Board (NTSB), a agência federal de fiscalização de trânsito dos Estados Unidos, divulgou um relatório preliminar no qual informa que o veículo guiado pelo piloto automático trafegava cerca de 15 km/h acima do limite de velocidade da rodovia — a velocidade máxima permitida é de 105 km/h e o carro estava a cerca de 120 km/h no momento do acidente.

O órgão do governo dos Estados Unidos trata de deixar claro, porém, que a descoberta não envolve qualquer análise de dados relacionados ao funcionamento do veículo, ou seja, a causa exata do acidente ainda precisa ser determinada. Segundo a Tesla, a batida foi o resultado da “lateral branca e alta do caminhão [na qual o carro colidiu]” e “uma assinatura de radar muito semelhante a uma placa de trânsito alta”.

O acidente aconteceu quando um caminhão tipo baú cruzou a via à frente do Model S por Joshua Brown, de 40 anos, e guiado pelo piloto automático. A combinação de fatores citada pela Tesla teria impedido que o veículo identificasse a carroceria como um obstáculo, confundindo tudo com a sequência da estrada.

Junto do relatório, a NTSB divulgou também as primeiras imagens oficiais do acidente, mostrando o carro amassado e também o caminhão “confundido” pelo veículo. Nelas, é possível ver que o teto do veículo foi quase todo praticamente arrancado pelo impacto com o baú do caminhão, que sofreu pouco dano.

Acidene Tesla

Carro teve o teto quase todo removido após a colisão. (Foto: Divulgação/NTSB)

Acidene Tesla

O caminhão sofreu poucos danos. (Foto: Divulgação/NTSB)

Acidente e repercussão

O caso do acidente envolvendo o Model S de Joshua Brown vem repercutindo bastante nos noticiários durante os últimos meses. Especialistas já apontaram que a companhia pode ser responsabilizada por este e por outros acidentes envolvendo o Piloto Automático e uma revista especializada em direitos do consumidor já chegou a pedir a suspensão do modo autônomo até que ele possa, de fato, oferecer segurança aos motoristas e passageiros de um veículo — o que a empresa se recusa a fazer.

Nesta semana, a Tesla anunciou que deve realizar alterações no Piloto Automático a fim de torná-lo mais preciso e, consequentemente, mais seguro. Sem dúvida, muita conversa sobre o tema ainda vai acontecer, e tudo isso pode influenciar bastante o futuro dos carros autônomos no mundo todo.

Fonte: National Transportation Safety Board

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!