BMW investe em aplicativo de caronas

Por Redação | 25.05.2016 às 17:15

As montadoras continuam apostando alto na economia de transportes colaborativas. A BMW anunciou nesta quarta-feira (25) um investimento de valor não divulgado na Scoop Technologies, uma startup americana que opera um app de mesmo nome, voltado para caronas que unem residentes e trabalhadores de uma mesma região.

O software funciona apenas na cidade de São Francisco, no estado norte-americano da Califórnia, e trabalha com um algoritmo que une usuários com interesses comuns, horários parecidos e caminhos semelhantes para ir e voltar do trabalho. Assim, todos podem ir juntos e em um mesmo veículo, o que acaba reduzindo o trânsito, os gastos e a emissão de poluentes. O valor da gasolina é pago pelo próprio aplicativo e repassado ao motorista.

No caso da BMW, o investimento veio por meio do braço de venture capital da montadora, que vem apresentando um interesse cada vez maior em tecnologias de compartilhamento, economia colaborativa e sistemas conectados. A aposta em mobilidade também já envolveu um aporte de dinheiro no Summon, rival do Uber que tem grande atuação em território indiano.

Além disso, a empresa alemã vem trabalhando junto a outras companhias do setor, seja por meio de parcerias ou através de ajuda financeira. Recentemente, por exemplo, ela investiu no Zirx, um software que facilita a localização de vagas de estacionamento; no Moovit, que opera um app que facilita as viagens pelo transporte público das cidades; e ainda na RideCell, que trabalha com softwares para gerenciamento e localização de frotas de veículos.

Um detalhe interessante é que este não é o primeiro investimento feito por uma montadora em empresas desse setor nesta semana. Na terça (24), a Toyota e a Uber anunciaram uma parceria estratégica que inclui investimentos da montadora japonesa na companhia de serviços de transporte privado. A decisão mostra como a disputa no setor está acirrada, já que o acordo foi divulgado horas depois da Volkswagen anunciar um investimento de US$ 300 milhões no Gett, um dos principais rivais do Uber na Europa. O aporte de dinheiro vai, justamente, para os trabalhos de expansão e consolidação dos serviços da empresa, que não está disponível no Brasil nem tem planos de dar as caras por aqui.

Fonte: Entrepeneur