Bitcoins têm queda de quase 20% em três dias

Por Redação | 05 de Setembro de 2017 às 13h49

A remessa de valorização e recordes no mercado das Bitcoins foi interrompida no começo desta semana depois que as moedas virtuais apresentaram uma queda de mais de 20% em apenas três dias. Desde domingo, o criptodinheiro já teve uma desvalorização de quase US$ 1 mil.

Junto com um de seus principais expoentes, todo o mercado de dinheiro digital também sofreu redução, com quedas de 20% em praticamente todas as suas modalidades. O Ether sofreu a maior baixa, com 23,5% de perdas, com o segmento, como um todo, caindo de US$ 180 bilhões para US$ 142 bilhões na somatória.

O motivo para as quedas sucessivas tem a ver com uma decisão do governo chinês, que tornou ilegais as ofertas iniciais de moedas (ICO, na sigla em inglês). O recurso vinha sendo usado por startups que desejavam entrar no mercado asiático de criptodinheiro, com um funcionamento semelhante ao da Bolsa de Valores, mas, claro, sem os marcos regulatórios complexos envolvidos na negociação de ações.

A ideia das empresas era de obter financiamento a partir da venda de tokens para investidores, de forma que as empresas possam obter os fundos para iniciar suas operações ou fomentar projetos de expansão. A ideia é que, com tais movimentos, as moedas teriam valorização na medida em que mais players de peso entrassem no mercado, o que torna um ICO tão interessante quando a oferta inicial de ações de uma companhia promissora, por exemplo.

O problema é que o Banco Popular da China, instituição dedicada à regulação do mercado financeiro no país, concluiu que existem irregularidades em ofertas de moedas realizadas por lá. Além de afirmar que essa modalidade de levantamento de fundos causa perturbações na estabilidade econômica do país, o governo disse ter encontrado indícios de que o método vinha sendo usado para golpes e esquemas de pirâmide.

Sendo assim, não satisfeito em tornar os ICOs ilegais, o governo da China também exigiu que as startups que levantaram fundos a partir desse método devolvam o dinheiro para os investidores. Como o montante deverá ser convertido de volta para as moedas originais, a situação é de incerteza e temor, o que levou às quedas sucessivas no mercado de criptodinheiro.

A decisão do Banco Popular da China representa um dos primeiros revezes sérios na trajetória das moedas virtuais, que cada vez mais, vêm sendo consideradas como uma opção não apenas viável, mas segura, para investidores. Esse movimento acompanhou sucessivas valorizações, principalmente, no mercado de Bitcoins, que vem batendo recordes sucessivos.

No momento em que esa reportagem é escrita, o mercado apresenta sinais de estabilidade, com as Bitcoins sendo negociadas a US$ 4,3 mil por unidade, uma pequena alta de 0,22%.

Fonte: CoinDesk