Benchmark Capital insiste em processo contra Travis Kalanick, ex-Uber

Por Redação | 28 de Agosto de 2017 às 17h55

Mesmo após a Uber enfim escolher Dara Khosrowshahi como seu novo CEO, a Benchmark Capital não derrubará seu processo judical aberto contra Travis Kalanick. A investidora alega que o ex-CEO agiu de maneira fraudulenta ao tentar manipular o conselho a seu favor.

Os advogados de Kalanick apresentaram nesta segunda (28) novos documentos para o processo iniciado pela Benchmark. Se o juiz que avalia o “causo” der continuidade a ele, a Uber acredita que o processo “irá expor a empresa a danos significativos e desnecessários, sem outro motivo a não ser o desejo da Benchmark de usar este fórum para caluniar publicamente o Sr. Kalanick com suas alegações fabricadas”, conforme consta nos documentos atualizados.

Para a Benchmark, que tinha como desejo trazer Meg Whitman para a chefia da Uber, a nomeação de Khosrowshahi não altera seus planos legais. Vale lembrar que Whitman, CEO da HPE, negou rumores de que seria a nova CEO da empresa em julho, dizendo, ainda, que não tinha tal interesse. Até então, ainda não está claro como Khosrowshahi pensa em agir frente a essa crise que divide o conselho da Uber basicamente entre dois times: de um lado, a Benchmark; do outro, Shervin Pishevar e demais apoiadores de Kalanick.

Pishevar disse, ainda, que aplaude “a decisão do conselho de fazer Dara Khosrowshahi o próximo CEO da Uber”, declarando estar “satisfeito com o fato de a Benchmark não ter conseguido subverter o processo de seleção do CEO”.

Voltando ao andamento do processo judicial, a primeira audiência do caso está agendada para a tarde de quarta-feira (30), nos Estados Unidos.

Fonte: ReCode