Balões do Project Loon agora são "pilotados" por Inteligência Artificial

Por Redação | 25 de Setembro de 2016 às 22h22
photo_camera Google

Você certamente já deve ter ouvido falar nos balões de internet do Project Loon do Google. Agora tente imaginar como é que eles se mantêm estacionados no ar se não há ninguém ali para pilotá-los. Assim que foi anunciado, o Project Loon usava algoritmos simples que se preocupavam apenas em manter a altitude dos balões. O problema disso é que condições adversas os arrastavam de sua posição original e faziam o Google literalmente correr atrás deles. Pois bem, isso mudou. O Google anunciou na última sexta-feira, 23, que agora os balões do Loon são "pilotados" por inteligência artificial.

Utilizando especificamente Aprendizado de Máquina (ou Machine Learning, caso prefira), os balões são capazes de permanecer estacionados num determinado ponto independentemente de ventos, chuva, etc. Tanto é que tal anúncio aconteceu após um balão de testes permanecer 98 dias estacionado a 20 km de altitude no Peru.

Em uma publicação no Google+, a empresa disse que diariamente o balão fez um total de 20 mil ajustes de altitude, dezenas deles diariamente, para lidar com diferentes padrões de vento que eventualmente surgem quando se está a essa altitude. Quando o padrão não era identificado, o balão se deslocava até o Oceano Pacífico para encontrar ventos que o ajudassem a retornar à sua posição original.

Os testes bem-sucedido não só ajudarão o Google a manter seus balões por mais tempo no ar, como também cortar custas e expandir o projeto. Isso porque a companhia não terá de empregar tantos balões para cobrir uma determinada área, já que agora eles são capazes de permanecer a altitudes mais elevadas, se manterem lá sem tanta intervenção humana e cobrir áreas maiores.

Via Project Loon (Google+), Wired

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.