B2B or not to be | Resumo semanal do mundo corporativo

Por Stephanie Kohn | 01 de Fevereiro de 2019 às 17h23

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira, selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento.

Facebook acima das polêmicas

O Facebook revelou os resultados fiscais do último trimestre de 2018, período que considera os ganhos obtidos pela empresa entre outubro e dezembro. E, ainda que o ano passado tenha sido extremamente difícil para a imagem pública da empresa devido aos problemas relacionados à privacidade, os escândalos não chegaram a influenciar em praticamente nada a atividade financeira da companhia.

A receita teve aumento de 30% em relação ao mesmo período de 2017 e o número de usuários diários também cresceu, passando de 1,52 bilhão para 2,32 bilhões. Ainda que positivos, os números revelam uma desaceleração, já que no mesmo período do ano passado, a empresa havia apresentado um crescimento de 47% na receita e de 15% no número de usuários ativos quando comparados a 2016.

Resultados em baixa, contratações em alta

A Apple revelou em seu relatório final do período a arrecadação de U$ 84,3 bilhões em rendimentos, um valor dentro da faixa esperada pelos analistas depois do anúncio da diminuição das expectativas. Ainda assim, o valor preocupa por mostrar uma queda em relação ao mesmo período do ano anterior, quando a Maçã fechou com uma receita de U$ 88,3 bilhões.

De acordo com o relatório, U$ 51,98 bilhões deste valor foram provenientes da venda de iPhones, U$ 7,41 bilhões da venda de Macs, U$ 6,72 bilhões da venda de iPads, U$ 10,78 bilhões provenientes de serviços fornecidos pela Apple e U$ 7,30 bilhões das vendas de acessórios e vestíveis da empresa.

Em outro anúncio esta semana, a Apple afirmou que em 2018 a empresa adquiriu componentes de mais de 9 mil fornecedores do país, o que direta e indiretamente ajudou a manter quase meio milhão de empregos.

Jeff Bezos volta a sorrir

Depois de não conseguir atingir expectativas de rendimentos no segundo e terceiro trimestre de 2018, os executivos da Amazon voltam a respirar tranquilos. O relatório do último período do ano passado revelou uma receita de U$ 72,4 bilhões, resultado acima dos U$ 71,9 bilhões esperados pelos analistas.

A superação das expectativas levou a empresa a um crescimento de 19,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Mas, ainda assim, foi o menor crescimento dentro de um trimestre da Amazon desde 2015.

O que também não cresceu tanto foram os números de vendas da empresa, que apresentou um incremento de apenas 18% no mercado norte-americano (contra 42% na comparação do mesmo período entre 2016 e 2017) e 15% no mercado internacional (contra 29% na comparação do mesmo período entre 2016 e 2017).

Resultados da Tesla e o jatinho do Musk

O mais recente relatório financeiro trimestral da Tesla foi divulgado nesta semana, informando um lucro de US$ 139 milhões (US$ 0,78 por ação) e vendas melhores do que o esperado pela empresa. Ainda assim, vale ressaltar que a Tesla conseguiu dois trimestres lucrativos seguidos graças às vendas do Model 3, mesmo com tudo indicando o contrário durante o período em questão no ano passado.

Apesar de a Tesla ter tido um ano em que chegou a perder cerca de US$ 100 milhões por semana e, segundo o próprio Musk, esteve à beira da falência, a empresa pagou pela totalidade dos 250 voos entre viagens a mando da Tesla, para cuidar de projetos paralelos pessoais do executivo, além de férias com a família. Ao todo, Musk percorreu mais de 240 mil km com o jatinho da empresa inclusive para fazer viagens extremamente curtas, como ir de uma ponta a outra de Los Angeles só para não precisar enfrentar o trânsito.

Os 3 passos da Intel

O então CEO interino da Intel, Bob Swan, agora ganhou o cargo permanente na empresa fabricante. Swan permaneceu como interino por sete meses, mesmo acumulando o cargo também de CFO. Ele é o sétimo CEO da companhia.

Swan assumiu o posto de chefia interina quando Brian Krzanich, então CEO, pediu demissão quando a Intel descobriu que ele teve um relacionamento com uma funcionária no passado. De acordo com ambos, foi consensual, mas isso fere as políticas da companhia.

Em carta aberta, Swan informou quais serão os três passos da sua gestão: ser duro e destemido; manter a estratégia atual da empresa e melhorar a execução.

Microsoft nas nuvens

Os números do último trimestre de 2018 da Microsoft superaram ligeiramente as expectativas dos analistas, com uma receita total de US$ 32,5 bilhões (um pouco acima da expectativa de US$ 32,49 bilhões), sendo que US$ 13 bilhões foram provenientes das operações de computadores pessoais (produtos Windows e Office), o que significou um aumento de 7% em relação ao mesmo período de 2017.

O resultado positivo foi impulsionado pelo crescimento dos serviços em nuvem da empresa, como o Office 365 e o Azure. Enquanto o Office 365 viu um aumento de 34% em suas receitas, o Azure cresceu assombrosos 76% no mesmo período.

Próximo passo

Com o objetivo de aumentar a representatividade de negros no Brasil, a Google acaba de anunciar o projeto Next Step, que visa tornar a empresa mais inclusiva e que garanta oportunidades iguais a todos.

Serão 20 estagiários selecionados para um programa de duração de dois anos, e ao final poderão atuar em áreas de vendas, marketing, recursos humanos, financeiros, entre outros. As vagas estão disponíveis para estudantes da grande São Paulo e as inscrições já podem ser feitas até o dia 22 de fevereiro no site da consultoria externa Empodera.

Frota elétrica

A companhia anunciou nesta segunda-feira (28) a criação da JingJu junto com a Beijing Electric Vehicle, uma empresa afiliada à montadora BAIC, atualmente a maior fabricante de carros elétricos da China.

Segundo comunicado da gigante, a proposta é desenvolver os automóveis que vão alimentar a frota futura de carros movidos com novas energias e também com inovações relacionadas à inteligência artificial.

Porta fechadas

Nesta semana, duas notícias mostram que a fabricante deve desativar pelo menos duas fábricas, uma avaliada em US$ 10 bilhões em Wisconsin, nos Estados Unidos, e outra de US$ 9 bilhões em Cantão, na China.

A Apple é o principal cliente da fabricante. No ano passado, a Foxconn teve de mudar seu planejamento do último trimestre por conta de mudanças de demanda da Apple devido ao desempenho de vendas da nova linha de iPhones abaixo do esperado. Junto disso, ainda, a empresa norte-americana teve problema com processos envolvendo a Qualcomm, que baniram o comércio de alguns modelos antigos de iPhones na China.

Promessas

Os valores dos fretes serão reajustados em uma média de 8,03% a partir do dia 6 de março, comunicou os Correios nesta segunda-feira (28). A estatal alega que os serviços prestados devem passar por uma reformulação, principalmente em relação às lojas online, e que apesar do aumento no entanto os valores para PAC serão reduzidos em até 4% para o varejo, contanto que a pré-postagem seja eletrônica.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.