B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo da tecnologia corporativa (20/4 a 24/4)

Por Stephanie Kohn | 24 de Abril de 2020 às 16h03
Canaltech

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

Investimentos

Anunciando um investimento de US$ 5,7 bilhões (pouco mais de R$ 30,7 bilhões na cotação do dia 22 de abril de 2020), o Facebook tornou-se o maior acionista minoritário da operadora móvel indiana e e-commerce Jio, uma subsidiária do conglomerado internacional Reliance Industries. Com o valor divulgado, a rede social fundada e liderada por Mark Zuckerberg detém 10% dos papéis ativos da companhia.

A Jio é uma das maiores empresas do segmento na Índia, oferecendo serviços de banda larga fixa e internet móvel, além da operação de plataformas e processamento de pagamentos digitais. Este último, inclusive, é o detalhe que motivou o Facebook a fazer tal investimento, conforme menciona o CRO (Chief Revenue Officer) do Facebook, David Fischer, e seu vice-presidente para a Índia, Ajit Mohan, em post no blog oficial.

Já a Alibaba Cloud, divisão de oferta em serviços de tecnologia na nuvem do grupo Alibaba, anunciou um investimento de US$ 28 bilhões (algo próximo de R$ 148,8 bilhões) em sua infraestrutura de TI nos próximos três anos. A ideia, segundo comunicado do grupo, é ampliar suas ofertas à medida que a demanda por aplicações de transmissão de vídeo ao vivo — videochamadas, streaming em alta definição etc. — aumentaram consideravelmente após a pandemia da COVID-19, a doença derivativa do novo coronavírus.

“Ao ampliar o nosso investimento na nossa infraestrutura de cloud e tecnologias essenciais, nós esperamos continuar a oferecer recursos computacionais de primeiro mundo, confiáveis, a fim de ajudar empresas a acelerarem seus processos de recuperação, além de levar soluções inteligentes baseadas na nuvem para dar suporte às suas transformações digitais no mundo pós-pandemia”, disse o presidente da Alibaba Cloud e CTO do grupo Alibaba, Jeff Zhang.

Enquanto isso, a Netflix informou que planeja levantar cerca de US$ 1 bilhão um dia após anunciar que irá dobrar suas projeções de novos usuários devido a demanda por novas produções puxadas pela quarentena do Coronavírus.

A empresa planeja usar o dinheiro para financiar produções originais, adquirir novos conteúdos e para possíveis aquisições. Tudo isso em um momento em que os maiores estúdios estão com produções e lançamentos parados em razão da pandemia.

A maioria dos conteúdos programados para 2020 e até 2021 já foram filmados e estão sendo finalizados de casa, segundo o chefe de conteúdo da plataforma, Ted Sarandos. Ele ainda informou que a Netflix está trabalhando em mais de 200 novos projetos.

Especial EdTech

Em uma época em que a transformação digital está atingindo pessoas e empresas, é claro que a educação não poderia ficar de fora. Tanto é assim, que os últimos anos vêm se mostrando especialmente produtivos para as chamadas Edtechs, que são startups especializadas em educação, oferecendo soluções que conectam professores, alunos, pais e administradores a partir da tecnologia.

A partir disso, o Canaltech publicou duas matérias que abordam o momento das startups de educação nesse momento de pandemia:

Crise nas startups de educação

Escolas tradicionais se adaptam a EdTechs

Inseguros

A adoção repentina de regimes de home office e a dificuldade maior de aplicar medidas de segurança para funcionários que trabalham de casa levou a um aumento de 148% no número de ataques hackers contra empresas em março. Os números mostram que os bandidos estão aproveitando o período de pandemia do novo coronavírus para aplicar golpes, apostando na ideia de que, remotamente, os sistemas dificilmente contam com a mesma proteção do que dentro das estruturas internas.

Isso se tornou verdade, principalmente, para quadrilhas que trabalham com ransomware, que já vinha crescendo em popularidade e se tornou, no último mês, o tipo de malware que mais atingiu as corporações de todo o mundo. Os dados são da VMware Carbon Clack, uma empresa especializada em cibersegurança e virtualização, que viu o número de ataques mais do que dobrar em relação ao que foi registrado em fevereiro de 2020.

De acordo com os especialistas da empresa, o aumento na eficácia desse tipo de golpe tem a ver com a fragilidade maior do trabalho remoto. A rapidez com que os regimes de home office tiveram de ser implementados também ajudou, com profissionais levando computadores de trabalho para casa, os conectando a redes sem fio potencialmente desprotegidas, ou utilizando seus próprios equipamentos, que podem não contar com a segurança adequada e estarem desatualizados.

Aumento

Um levantamento feito pelo site de comparação de preços Zoom mostrou que nesses quase 30 dias de isolamento social, a busca por tablets aumentou 31%. Mas um tablet voltado para o público infantil é quem roubou a cena, crescendo mais de 17.000% O dispositivo em questão é um tablet da DL Eletrônicos (a mesma que opera oficialmente a marca Xiaomi no Brasil) e, como é focado no público infantil. O baixo preço (US$ 279,90), aliado à parceria que o tablet tem com a PlayKids, app da Movile especializado em conteúdos infantis, como jogos e vídeos, tornou o dispositivo cobiçado para os pais que precisam entreter seus filhos dentro de casa durante a quarentena. Ou seja, a "tempestade" perfeita.

Conteúdo Extra

O Canaltech Corporate estreou na última segunda-feira (20) uma seção com uma seleção das melhores vagas de emprego em TI e em empresas de tecnologia. O "Manda Jobs" será publicada toda semana. Confira a primeira edição.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.