B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo da tecnologia corporativa

Por Stephanie Kohn | 06 de Setembro de 2019 às 13h53

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo de tecnologia corporativa. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até lançamentos de produtos e serviços empresariais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

De última hora

Uma pesquisa realizada pela Kaspersky no ano passado revelou que as empresas só buscam auxílio de proteção quando sofrem ciberataques perigosos.

Cerca de 56% das solicitações de Incident Response (resposta a incidentes de segurança) em 2018, segundo o relatório da firma de cibersegurança, foram feitas após as organizações terem sido vítimas de transações não-autorizadas, estações de trabalho criptografadas por ransomware e indisponibilidade de serviços.

A pesquisa também mostra que 44% dessas solicitações foram feitas após a detecção, mas enquanto a ameaça ainda estava em um estágio inicial. Muitos acreditam que o pedido de Incident Response precisa ser feito somente quando o ataque já ocorreu, mas especialistas de segurança da Kaspersky explicam que a medida também é capaz de detectar ataques ainda na fase inicial, evitando maiores danos.

Fora isso, o relatório mostra que, no ano passado, 81% das empresas que pediram a análise contavam com indícios de atividade maliciosa na rede interna, e que 34% apresentaram sinais de ataque direcionado avançado. Além disso, 54,2% das organizações financeiras foram atacadas por grupos especializados em ameaças persistentes avançadas, as APTs.

Oportunidades

A Petrobras lançou um edital chamado de projetos de pesquisa destinado exclusivamente a startups/microempresas que queiram investir na inovação. A expectativa é o financiamento de até dez projetos distribuídos por seis diferentes áreas (robótica, inteligência artificial, armazenamento de energia, captação e utilização de CO²). Os valores giram em torno de R$ 500 mil a R$ 1,5 milhão, totalizando R$ 10 milhões nessa etapa.

As inscrições para o edital podem ser feitas até 22 de setembro no site do Sebrae, e os participantes contam com um prazo de até dois anos para desenvolver seus projetos. Vale lembrar que as startups também recebem, como apoio, interação com os técnicos da Petrobras e capacitação empresarial. A previsão é que outros editais sejam lançados futuramente, com total de investimentos é de R$ 60 milhões.

Vale lembrar também que as inscrições para a terceira edição do Immersion, programa desenvolvido pela Google Startups, já estão abertas.

Startups interessadas em participar do projeto irão viver intensamente nove semanas de atividades, incluindo duas de encontros presenciais na sede da companhia, que fica localizada na Avenida Paulista, em São Paulo.

A primeira edição do Immersion aconteceu em 2016, como foco em empresas iniciantes B2B de diversos estados brasileiros e, no ano seguinte, o evento foi dedicado às fintechs de outros países da América Latina.

Em 2019, o programa é direcionado às áreas de desenvolvimento de produto priorizando o usuário, gestão e cultura, e aquisição de clientes.

Substituição

Nesta semana, o Banco Central (BC) anunciou que será responsável por desenvolver a base de dados e a administração do sistema.

A ideia é substituir as transações com dinheiro em espécie ou por meio de transferências bancárias (TED - Transferência Eletrônica Disponível - e DOC - Documento de Ordem de Crédito) e débitos por transações entre pessoas.

Segundo o BC, os pagamentos instantâneos serão feitos em alguns segundos e funcionarão por 24h todos os dias da semana.

O BC diz que o estabelecimento comercial precisará ter somente um código único de identificação para permitir que seus clientes façam a leitura desse código por meio de seus smartphones. Nesse código estarão contidas todas as informações necessárias para que os recursos sejam transferidos instantaneamente.

Segundo o Banco Central, iniciar um pagamento instantâneo deverá ser tão simples quanto selecionar uma pessoa na lista de contato do telefone celular. Isso porque não haverá a necessidade de inserir informações como número do banco, da agência e da conta e o CPF (Cadastro de Pessoa Física) do recebedor.

Para fazer o pagamento instantâneo, serão necessários um smartphone, uma conta em um prestador de serviço de pagamento (PSP) da escolha do consumidor e o aplicativo. Para saber mais sobre o sistema, leia a matéria completa.

Bônus

Não deixe de ler 4 artigos valiosos publicados nesta semana:

Como usar o WhatsApp a favor da sua empresa

Como vender em uma plataforma de marketplace

Na era dos super aplicativos, qual é o papel dos mini apps?

Como a IA e a transformação digital criam novas profissões

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.