B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo da tecnologia corporativa (13/4 a 17/4)

Por Stephanie Kohn | 17 de Abril de 2020 às 14h00
Canaltech

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

Cursos e oportunidade

O Google Cloud está oferecendo treinamentos gratuitos totalmente online para profissionais de TI, como recurso de aprendizado para quem deseja se aprofundar em conhecimentos em computação em nuvem. Durante 30 dias, será possível acompanhar cursos projetados com base em habilidades essenciais, como arquitetura, engenharia de dados e machine learning. O objetivo é preparar essas pessoas para resolver problemas reais e incentivar que elas busquem tirar sua certificação do Google Cloud.

Mais de 60 treinamentos estão disponíveis no Pluralsight e no Coursera. Os laboratórios práticos, disponíveis para todos os níveis de habilidade, e em diversos idiomas, estão disponíveis no Qwiklabs. Após os primeiros 30 dias de uso, as respectivas plataformas cobrarão uma taxa, caso o usuário opte por ampliar o tempo de estudo. As inscrições podem ser feitas por meio deste link, até 30 de abril.

Para complementar os estudos, serão oferecidos webinars conduzidos por especialistas do Google Cloud, que vão guiar demonstrações práticas de laboratório e responder perguntas ao vivo sobre vários tópicos.

Já o Banco Santader anunciou o lançamento da segunda edição do Coders, programa de capacitação que oferecerá um total de 480 vagas para cursos em dois módulos: Web Full Stack Java (240 vagas) e Desenvolvimento Mobile (240 vagas). Assim como na primeira edição, o conteúdo dos dois módulos será ministrado pela Digital House, que fornecerá a metodologia das aulas, bem como os professores. No entanto, ao contrário do ano passado, os cursos serão ministrados de forma 100% online.

Para o programa Java (Desenvolvedores Web Full Stack), as inscrições estão previstas no período entre 13 de abril e 17 de maio. Os interessados precisam passar pelas seguintes etapas: inscrição; teste de lógica; curso introdutório online; apuração; entrevista e matrícula. Serão 240 contemplados, divididos em seis turmas e com 210 horas de aulas. Nesse programa, os alunos aprenderão a desenvolver sites e sistemas web utilizando linguagens de programação como HTML, CSS3, Angular, Java, Javascript e React, entre outras. Também aprenderão a trabalhar em equipe utilizando a metodologia ágil. ,

As inscrições devem ser feitas no endereço: becas-santander.com/pt/program/santandercodersjava2020.

E o Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI) anunciou que ofecerá 2,5 mil bolsas integrais para um programa de 5 bootcamps, que formarão profissionais nas carreiras de Desenvolvedor Salesforce, Desenvolvedor Full Stack, Analista Machine Learning, Analista de Dados e Analista de Cibersecurity. Serão 500 vagas para cada um desses cursos.

Os cursos terão duração de dois meses e carga horária de 148 horas, oferecidas 100% online, com uma abordagem prática e feita de forma intensiva. O objetivo é a rápida capacitação em tecnologias quem vêm sendo bastante demandadas pelo mercado de trabalho.

Para participar, os interessados devem ter a partir de 18 anos e obter qualificação em uma prova online de lógica e fundamentos de programação. As inscrições estão abertas até o dia 26 de abril no site, que traz mais informações sobre todos os cursos. As vagas serão preenchidas pelos candidatos aprovados na prova qualificatória, por ordem de matrícula.

Por fim, a linguagem de programação COBOL, que foi criada em 1959 e é vista como obsoleta há décadas, está em alta novamente. Segundo informações, ainda há muitos sistemas baseados nessa codificação, como bancos, seguradoras e redes de varejo. Com a atual crise causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), a demanda por especialistas nessa área, que já era alta, aumentou.

Muitos governos que processam dados usam o COBOL e como este é um momento em que há várias frentes de assistência aos cidadãos em curso, encontrar programadores experientes que possam lidar com as estruturas antigas e treinar uma nova geração de desenvolvedores virou prioridade. Uma nova iniciativa da IBM vem justamente para acelerar essa busca.

Um novo fórum online, copatrocinado pelo projeto colaborativo da Linux Foundation, o Open Mainframe Project, visa conectar programadores COBOL a pessoas que desejam contratá-los. A IBM também está trabalhando em um curso de treinamento gratuito. A empresa publicou conteúdo na plataforma de programação Github.

Previsões de mercado

Uma das empresas mais afetadas pela crise causada pela pandemia do novo coronavírus, a Uber tomou algumas atitudes para se preparar para os próximos meses. A gigante dos transportes simplesmente retirou todas as suas previsões e diretrizes financeiras para 2020, porque, com a volatilidade que o mercado apresenta, é praticamente impossível traçar metas e perspectivas no futuro próximo. Apesar disso, a reação na bolsa de valores e entre os acionistas foi positiva, mesmo com a estimativa de queda de receita podendo chegar a US$ 80 milhões no segundo trimestre.

A Apple também teve suas notas das ações rebaixadas essa semana pelo banco de investimentos Goldman Sachs. A instituição financeira recomendou a venda dos papeis da empresa, porque prevê uma profunda desaceleração na demanda do consumidor ao longo de 2020.

Os analistas afirmam que as vendas da criadora do iPhone sofrerão um impacto severo, diante da grave crise econômica causada pela pandemia do COVID-19. Com isso, o segmento de hardware da empresa pode sofrer uma desaceleração que pode durar até 2021.

O Goldman Sachs reduziu sua meta de preço nas ações da Apple para US$ 233, uma baixa de 20% em relação ao fechamento da última quinta-feira. Além da previsão de queda ao longo de 2020, a crise do coronavírus pode impactar também as vendas da Apple para 2021. Com isso, um dos produtos mais esperados da marca, o iPhone 5G, pode ter sua apresentação - prevista para o segundo semestre desse ano - adiada.

Já o SoftBank anunciou que registrará um prejuízo de cerca de US$ 12,5 bilhões (ou R$ 65,8 bilhões) em seu ano fiscal (que vai de 1º de abril de 2019 até 31 de março de 2020). As perdas são puxadas pelo Vision Fund, seu braço de investimentos, que gerencia um portfólio de cerca de US$ 100 bilhões. E uma das justificativas para esse rombo seria o desempenho cada vez pior de suas apostas em empresas de Tecnologia. No Brasil, o grupo japonês já fez aportes em companhias como Quinto Andar, Gympass e Loggi, sendo que as três se tornaram "unicórnios" (startups cujo valor de mercado ultrapassa US$ 1 bilhão).

Outro mercado que prevê forte impacto em 2020 é o de infraestrutura de TI. A IDC Brasil prevê que por conta da pandemia de covid-19, haverá queda de 8,5% na comparação com 2019. “Alguns projetos que deveriam ter acontecido em 2019 ficaram para 2020 e vão salvar o desempenho do primeiro trimestre. Mas no segundo trimestre o impacto será forte, o que vai puxar o mercado para baixo”, afirma. A previsão é de um cenário mais positivo para o segmento de redes, especialmente em roteadores para as grandes operadoras, por conta da alta demanda de home office durante o período de isolamento social. “No terceiro trimestre já podemos esperar uma retomada, mesmo que lenta, com uma normalização dos negócios no quarto trimestre”, finaliza.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.