B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo corporativo

Por Stephanie Kohn | 31 de Maio de 2019 às 15h33
iStock

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

Quem dá mais?

A briga entre o grupo SBF, dono da Centauro, e o Magazine Luiza para a aquisição da Netshoes promete novos capítulos. Isso porque a gigante da moda esportiva revisou sua proposta para aquisição da Netshoes e aumentou o valor de US$ 2,80 (R$ 11, na cotação atual) por ação para US$ 3,50 (R$ 14) por ação da varejista, oferta que soma aproximadamente US$ 108,7 milhões (R$ 433,7 milhões), conforme documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta terça-feira (28).

A Centauro entrou na disputa pela aquisição da Netshoes na semana passada ao fazer uma oferta de cerca de US$ 87 milhões (R$ 347 milhões), 40% a mais do que a proposta inicial de US$ 62 milhões (R$ 247 milhões) feita pelo Magazine Luiza. No último domingo (26) a "Magalu" fez um aditamento à sua proposta e aumentou o valor para cerca de US$ 93 milhões (US$ 3/ação).

Ainda de acordo com o levantamento, a Centauro assegurará à Netshoes "condições comerciais complementares" com o objetivo de garantir maior celeridade à implementação e conclusão da transação caso sua nova oferta seja aceita.

Chips de maçã

A Pegatron, uma das principais empresas da indústria eletrônica taiwanesa, anunciou um investimento entre US$ 695 milhões e US$ 1 bilhão em uma unidade de produção na Indonésia, que vai montar chips a serem usados em iPhones e MacBooks. Os trabalhos começam já neste ano e expandem parcerias já existentes.

Neste caso, a taiwanesa amplia ainda mais sua amizade com a PT Sat Nusapersada, uma fabricante local com a qual já trabalha em uma linha de produção de eletrodomésticos, que também deve entrar em operação em breve. Tal operação já acontece em um complexo industrial na ilha de Batam, na região oeste do país, onde também está a unidade que deve ser expandida para abraçar o contrato firmado entre Pegatron e Apple.

Essa, inclusive, é a primeira vez que a companhia vai trabalhar na manufatura de chips. Ela não comentou sobre o assunto, mas de acordo com as informações que circulam na imprensa internacional, não se trata de uma fabricação direta dos componentes, mas sim do processo de montagem, com a matéria-prima bruta sendo importada, provavelmente, de outros parceiros da Maçã na China e mais países da Ásia.

Rédeas curtas

O governo japonês anunciou que empresas de tecnologia e telecomunicações passarão a fazer parte de uma lista de setores nos quais o capital estrangeiro deve ser limitado. As novas regras para o setor de infraestrutura passam a valer no dia 1º de agosto e impõem mudanças para estrangeiros que tiverem ou estiverem dispostos a comprar parcelas iguais ou maiores a 10% do controle de uma companhia local.

O objetivo, de acordo com o governo do Japão, é evitar a transferência de tecnologia proprietária nacional para a mão de países do exterior, mesmo que eles sejam aliados. Além disso, outra ideia tem a ver com a luta contra o terrorismo e a espionagem, com a China sendo uma grande preocupação nesse sentido. A ideia, segundo o governo, é evitar que uma situação que possa colocar o país em risco seja vista como “apropriada” por seus dispositivos legais.

Fazem parte da nova regra, por exemplo, operadoras de telefonia fixa ou celular, prestadores de serviços de internet, empresas ligadas à infraestrutura e setores de fabricação de componentes eletrônicos, incluindo circuitos integrados.

Tá na hora!

Com os direitos fundamentais de liberdade e privacidade assegurados pela Lei Geral de Proteção de Dados, o consumidor poderá autorizar ou não o uso de seus dados. Diante da necessidade do cumprimento dos requisitos da LGPD, a tecnologia vem para auxiliar as empresas desde a coleta até a gestão de banco de dados, por meio de plataformas digitais.

De acordo com o Director of Business Unit da FH, Sandro Stanczyk, independentemente do porte ou segmento, as empresas deverão se adequar à nova lei de proteção de dados, e, com as ferramentas corretas, as companhias poderão gerenciar as informações de seus clientes nos canais digitais em compliance com a legislação.

Ainda segundo Stanczyk, as marcas precisam oferecer uma experiência diferenciada aos clientes, a fim de conectá-los; devem construir relacionamentos confiáveis com preferência em gerenciamento de consentimento; além de criar uma visão unificada do usuário para compartilhar em toda a empresa.

De graça

As inscrições para a terceira edição do Google Cloud OnBoard estão abertas. O evento voltado para desenvolvedores, estudantes universitários e profissionais iniciantes em computação em nuvem é gratuito e oferece treinamento sobre o Google Cloud Platform (GCP).

As inscrições podem ser feitas no site do Cloud OnBoard e o treinamento será realizado no dia 18 de junho de 2019 em São Paulo, porém contará com transmissão em tempo real em mais de sete salas de cinema espalhadas pelo Brasil: Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG) e Florianópolis (SC). As sessões também serão transmitidas por meio do YouTube, mas, neste caso, os interessados deverão se inscrever por meio do site e selecionar a opção “livestream” em vez de escolher uma cidade.

O treinamento se dividirá em duas sessões: a primeira, sobre Core Infrastructure, acontecerá entre 8h e 13h e será dedicada a todos que estão começando com o GCP e querem criar e implementar ambientes para aplicativos. Além disso, a sessão também vai abordar os conceitos de computação na nuvem, além de explicar as potencialidades do Kubernetes.

Concorrência leal

Imagine o seguinte cenário: você é o dono de uma empresa, mas toda vez que um usuário procura sua companhia na Google, são exibidos anúncios da concorrente. Foi isso que aconteceu com uma consultoria de recursos humanos que entrou na Justiça de São Paulo para que a Google desvinculasse as concorrentes de qualquer busca que contenha o seu nome.

Na semana passada, a consultoria conseguiu uma liminar para que a Google deixasse de exibir os anúncios em seus resultados de busca. A decisão é da 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial.

Apesar da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, outras empresas poderão continuar a vincular concorrentes como palavra-chave no Google Ads. A liminar concedida nesta semana só é válida para o caso específico da consultoria de recursos humanos.

Planos audaciosos

A Rappi recebeu um novo aporte para expansão, sobretudo no Brasil. O serviço de entregas contou com novos investimentos na ordem de US$ 1,2 bilhão, considerado o maior em uma empresa da América Latina. Com isso, a companhia quer expandir a oferta e passar a entregar também em mais 70 cidades com mais de 400 mil habitantes no Brasil.

O aporte veio de duas grandes empresas: US$1 bilhão do grupo japonês SoftBank e US$ 200 milhões de fundos de capital de risco que já haviam investido na startup, como Andreessen Horowitz, DST Global e Sequoia Capital.

Segundo comunicado da Rappi, há um registro de crescimento de 30% ao mês no Brasil, posicionando o país entre um dos mercados mais importantes. A proposta é triplicar o número de cidades que contam com o serviço. Atualmente, são 20 apenas no Brasil que permitem entregas pelo Rappi. O objetivo é passar de 70 ainda este ano.

Restabelecida

A Huawei voltou a fazer parte da SD Association, uma organização sem fins lucrativos que supervisiona e padroniza o desenvolvimento e lançamento de produtos com a tecnologia SD, como cartões de memória. A fabricante havia sido retirada da lista de membros da associação no final da semana passada, voltando atrás da decisão nesta quarta-feira (28), restabelecendo a participação da companhia chinesa no órgão.

Originalmente, a organização havia confirmado a remoção da Huawei de sua lista de membros em respeito à decisão dos Estados Unidos, que aplicou uma série de bloqueios comerciais à companhia.

O restabelecimento das relações com a empresa chinesa, da mesma forma, veio sem explicações ou notas oficiais. A Huawei apenas confirmou à imprensa internacional que já está de volta ao corpo de membros da SD Association, mas não fez mais comentários sobre a remoção repentina e também sobre esse retorno. A associação também não voltou a falar sobre o assunto.

Ora, pois

Profissionais brasileiros de TI poderão trabalhar em Portugal sem se preocupar com a burocracia e custos de se conseguir um visto. É o que promete a startup de recrutamento TI Landing.jobs, que lançou uma campanha para selecionar 30 profissionais da área dispostos a trabalhar do outro lado do Atlântico.

Para participar do processo seletivo, os interessados devem se inscrever na campanha TOP (Top Opportunities in Portugal) até o dia 23 de junho pelo site da TI Landing.jobs. De acordo com a empresa, a iniciativa quer facilitar a entrada de brasileiros no mercado de trabalho português.

A campanha é voltada para especialistas nas áreas de Back-end, Front-end e Data Science. Depois da inscrição, os candidatos realizam um teste básico de qualificação, que será eliminatório — de acordo com o cronograma da empresa, a etapa será cumprida até o dia 23 de junho.

Boa oportunidade

As inscrições para o Ranking Top 100 Open Startups deste ano estão abertas até o dia 31 de maio, próxima sexta-feira. A iniciativa, que acontece desde 2016 e é promovida pelo movimento 100 Open Startups, tem o objetivo de destacar as startups mais promissoras do mercado corporativo.

Neste ano, os empreendedores inscritos devem participar do programa 100 Open Angels, que tem a responsabilidade de estruturar co-investimentos entre redes de investidores-anjo e de fundos institucionais em startups ranqueadas, diminuindo o tempo de captação pela metade. Serão 25 startups selecionadas, cada uma recebendo R$ 1,5 milhão.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.