Siga o @canaltech no instagram

B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo corporativo

Por Stephanie Kohn | 17 de Maio de 2019 às 15h55

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

5G à vista

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Anatel confirmou que pretende abrir a licitação para implementação do 5G até o final de março de 2020. Segundo o órgão, a expectativa de tempo está em conformidade com o mercado mundial.

As empresas do setor dizem que já estão cumprindo as normas técnicas para a implementar o 5G no Brasil, mas ainda resta os trâmites políticos para começarem as instalações. Elas ainda pedem por alterações na lei que estabelece parâmetros para a instalação de infraestrutura de telecomunicações, como antenas e repetidores de sinal. Segundo elas, a legislação atual é muito burocrática e dificulta o posicionamento de novas antenas, o que atrapalha na cobertura de algumas áreas.

A Anatel, por sua vez, disse que 5.400 cidades brasileiras têm cobertura 3G, o que representa 97% da população; e 4.400 cidades têm cobertura 4G, chegando a 95% da população. Para os participantes da audiência pública, o 5G não é apenas uma evolução do 4G, mas sim uma nova e disruptiva tecnologia.

Alibaba nas nuvens

A Alibaba, gigante do comércio eletrônico chinês, divulgou esta semana o relatório fiscal referente às operações do primeiro trimestre deste ano (período entre janeiro e março), mostrando resultados que superam as expectativas dos analistas para o período.

A empresa fechou o período com uma receita de US$ 13,60 bilhões, um crescimento de 51% quando comparado ao mesmo período do ano passado, e que superou as expectativas dos analistas de US$ 13,30 bilhões para o período. Também houve um aumento no lucro líquido da empresa, que fechou o período com US$ 3,76 bilhões em lucro.

Esse grande crescimento não foi um resultado apenas do aumento das vendas da loja — que cresceram em 39% quando comparadas ao mesmo período do ano anterior — mas também relativo aos investimentos feitos pela empresa em outros setores, principalmente no da computação em nuvem. Esse grande crescimento nos últimos anos fez com que a Alibaba se tornasse a maior fornecedora de serviços de nuvem na China (dominando 40% de todo o mercado no país) e a terceira maior do mundo, atrás apenas da Microsoft e da Amazon.

Ordem na casa

Um jornal americano revelou que, esta semana, tanto a Disney quanto a Fox iniciaram uma nova rodada de demissões. O movimento seria parte da reorganização das companhias após a compra e posterior união de suas estruturas, o que teria gerado postos de trabalho redundantes que, agora, estariam sendo cortados pela diretoria.

Seria, também, uma medida de contenção de gastos em um processo custoso por si só. A compra da 20th Century Fox custou US$ 71,3 bilhões à Disney, com outros US$ 9 bilhões sendo desembolsados para aquisição de ações do serviço de streaming Hulu que estão nas mãos da operadora Comcast. Mais e mais investimentos são feitos no lançamento de plataformas próprias, gastos com tributos oriundos das negociações e dívidas da companhia adquirida. Os executivos desejariam, mais do que tudo, fechar a torneira.

Vale lembrar que esta semana também, a Disney se tornou oficialmente a responsável operacional pelo Hulu. Em recentes apresentações, a Disney citou o Hulu como um dos pilares de sua plataforma de conteúdo online, ao lado de serviços como o Disney+, ainda a ser lançado, e nomes como ESPN e Hotstar, com grande foco na Índia.

Realidade virtual

A Lenovo continua lançando produtos para segmentos além dos PCs, smartphones e outros aparelhos. Desta vez a incursão é na área corporativa, com o anúncio de um ecossistema de realidade mista voltado para empresas, o ThinkReality.

O sistema foi dividido em duas partes: os óculos propriamente ditos e uma plataforma de software. O ThinkReality A6 é um confortável dispositivo de 380 gramas com duas câmeras olho de peixe na frente, além de sensores de profundidade e um sensor RGB de 13MP. Há, também, microfones internos para comandos de voz e uma ferramenta que detecta para onde o usuário está olhando para otimizar a resolução ou a navegação.Também será possível interagir com seus ambientes virtuais usando um controlador 3DoF. O A6 pode durar até quatro horas com sua bateria de 6.800mAh, além de ele também poder ser usado durante o carregamento.

Os óculos se conectam a uma caixa de computação do tamanho de um SSD, que contém um SoC Snapdragon 845 executando uma plataforma baseada no Android. Um chipset Intel Movidius alimenta a guia de ondas óticas e cada olho no A6 oferece um campo de visão diagonal de 40 graus e resolução de 1080p.

Problemas técnicos

Se nesta terça-feira você estava navegando e, de repente, não conseguiu abrir alguns sites, não precisa culpar a sua operadora e nem achar que já está na hora de trocar de celular: houve, sim, um problema técnico na internet brasileira que afetou o acesso a diversos sites hospedados no país.

O problema ocorreu nos servidores do Cloudflare, uma empresa de CDN (sigla para redes de distribuição de conteúdo) que opera no mundo todo, inclusive no Brasil. A função dela é, basicamente, fazer a ligação entre o servidor do provedor de internet do usuário e o do site que ele quer acessar, definindo qual é a forma mais rápida de entregar esse conteúdo para o usuário.

O que aconteceu nesta terça é que alguns servidores do país estão com instabilidade em suas operações (de acordo com o status da página da Cloudflare, o problema parece ter surgido no servidor de Porto Alegre), o que impediu que alguns usuários acessassem alguns sites do país.

Crescimento

O Zoom anunciou que fechou um contrato para aquisição de uma das suas maiores concorrentes, a Buscapé. A conclusão da compra acontecerá após avaliação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Além da aquisição do Buscapé, o acordo prevê a inclusão de outras empresas do grupo Naspers, que detém as marcas Bondfaro, QueBarato e Modait. Os valores e termos atribuídos à transação não foram revelados.

Com essa aquisição, a operação das empresas somadas atingirá um volume de vendas (GMV) de R$ 5 bilhões em 2019, geradas para mais de 2.000 lojistas clientes. A transação deverá ser concluída no segundo semestre deste ano.

Carreira solo

Para aprimorar seu serviço de entregas, a Amazon está colocando em prática um plano para incentivar que funcionários sigam na carreira, mas em seu próprio negócio. Com o programa Delivery Service Partner (Parceiro de Serviço de Entrega), os funcionários da companhia recebem financiamento para iniciarem seus negócios particulares de entregas.

O financiamento, direcionado a custos iniciais, é de US$ 10 mil e o equivalente a três meses do último salário bruto como funcionário da Amazon. A companhia também criou um novo braço para ajudar aqueles que desejam fazer parte do programa, mas que precisam de assistência para a transição.

São elegíveis para participar do Delivery Service Partner diversas categorias de funcionários da empresa, incluindo para quem trabalha no armazém. Colaboradores da Whole Foods, adquirida pela Amazon em 2017, no entanto, ficam de fora dessa "oferta".

Optando por participar do programa, o funcionário deixa a sua função atual para iniciar em seu novo negócio, recebendo a garantia de volume de entrega consistente para a sustentação do trabalho. Os optantes também terão acesso à tecnologia de entrega da Amazon, treinamento prático e descontos em produtos e serviços úteis para a função, incluindo caminhões de entrega com a marca da Amazon.

Abandonando o barco

Depois de quase uma década, a HTC dá mostras de que está pronta para abandonar o mercado chinês de smartphones. De acordo com informações da imprensa da China, a página da HTC na Tmall (um dos maiores sites de vendas diretas da China, algo equivalente ao nosso Mercado Livre) não lista mais nenhum smartphone da companhia para venda, e o único produto listado são os headsets de realidade virtual da companhia.

Logo após a retirada de seus produtos do Tmall, a HTC confirmou em seu perfil do Weibo (uma rede social chinesa equivalente ao Facebook) que ela está fechando as suas lojas virtuais tanto no Tmall quanto no Jingdong (os dois maiores sites de venda direta online da China), e até mesmo no site oficial da empresa - onde ela afirma que continuará vendendo seus produtos — diversos modelos de smartphones, como o U11 e o U11+, já não se encontram mais disponíveis.

Internet para todos

O CEO da SpaceX, Elon Musk, revelou os 60 satélites que sua empresa lançará esta semana por meio da iniciativa Starlink da SpaceX, uma megaconstelação planejada de quase 12.000 satélites que ficarão em órbita baixa Terra e transmitirão conectividade à internet para a superfície abaixo. Musk tuitou uma foto dos satélites reunidos dentro do nariz do foguete Falcon 9, que colocará a espaçonave em órbita.

A Federal Communications Commission concedeu à SpaceX permissão para lançar dois grupos de satélites para o projeto: uma constelação de 4.409 satélites, seguida por uma segunda constelação de 7.518, que operará a uma altitude ligeiramente inferior à primeira. Juntos, os satélites devem voar em uma dança sincronizada sobre a Terra, fornecendo internet para todas as regiões do planeta.

Elon Musk alertou que essa leva de 60 satélites "muito provavelmente dará errado". Ele argumentou que pelo menos mais seis lançamentos de 60 satélites serão necessários para fornecer cobertura de internet "razoável", ​​enquanto 12 lançamentos serão necessários para uma cobertura “moderada”.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.