As mudanças no Google e como impedir que sua empresa perca dinheiro

Por Colaborador externo | 03.06.2015 às 12:55
photo_camera Divulgação

Por Fábio Pessoa*

Milhares de pequenas e médias empresas foram surpreendidas pelas mudanças do Google em seu algoritmo de buscas, que passou a dar prioridade a sites cujos layouts se adaptem automaticamente a dispositivos móveis, como celulares e tablets.

Um cenário preocupante por sua enorme capacidade de impactar diretamente os negócios de quem não se atentou a essa nova realidade, sobretudo ao se analisar que quase 40 milhões de brasileiros acessam a internet por meio destes aparelhos.

Imagine o estrago que isso pode ter causado a lojas virtuais ultrapassadas, mas que desfrutavam de bom posicionamento no maior site de buscas do mundo. Ou o de um pequeno comércio que dependia altamente do Google para ampliar o tráfego e, em consequência, converter vendas que faziam a diferença em sua receita final.

Em muitos sites, as visitas geradas por meio de pesquisas realizadas em dispositivos móveis representam quase 50% do total, e a tendência é que esse índice cresça a cada dia mais. Somente no ano passado aumentou em 65% o uso do celular como principal fonte de acesso a internet no país, segundo o Ibope.

Mas como um pequeno negócio deve agir para “consertar”, da noite para o dia, um site que ficou parado no tempo e se transforma num rinoceronte ao ser aberto no celular? No curtíssimo prazo, no caso de quem usa a plataforma Wordpress, é possível contornar o problema instalando o WP Plugin Touch Mobile, que automaticamente adaptará o seu site às mais diversas plataformas de forma gratuita.

O ideal, no entanto, é contratar um programador capaz de pensar em cada detalhe que poderá ser o diferencial entre o visitante se interessar pelos produtos e conteúdos oferecidos a ele, ou simplesmente ignorar por completo sua página e dar a ele a possibilidade de encontrar o que necessita na concorrência.

O que não pode é ignorar essas mudanças impostas pelo Google e dar de ombros para o alto potencial de tráfego que pode ser gerado a partir do buscador. Do contrário, devo-lhe dizer que sua empresa está perdendo dinheiro e preciosas oportunidades de negócio, que certamente farão falta num momento de crise econômica como o vivido atualmente no país.

*Fábio Pessoa é coordenador de SEO da Personal Search e especialista em Links Patrocinados credenciado pelo Google e Bing