Apple Watch receberá grande atualização em setembro; veja o que muda

Por Redação | 24 de Agosto de 2015 às 12h20
Divulgação
Tudo sobre

Apple

Desde que foi lançado em abril, o Apple Watch tem sido criticado, particularmente, por dois motivos: aplicativos lentos e que não funcionam muito bem; e seu alto preço, que parece um pouco demais para um relógio inteligente que depende de um iPhone para funcionar. Parece que a empresa tem ouvido as reclamações e, em junho, anunciou que está abordando esses dois problemas numa atualização de software que será lançada em setembro.

Com o watchOS 2, vários apps serão nativos, executados inteiramente no relógio em vez de ter que se comunicar constantemente com o smartphone. Isso significa que eles carregam mais rápido e oferecem ainda mais recursos. Em segundo lugar, o Apple Watch será capaz de se lembrar de conexões Wi-Fi às quais você já se conectou anteriormente com o seu iPhone.

Assim, mesmo se você esquecer o seu smartphone em casa, será capaz de acessar certas funções no relógio, como enviar iMessages (caso os seus contatos estejam sincronizados com o relógio) e fazer perguntas para a Siri. Os desenvolvedores também serão capazes de explorar esse recurso para fazer com que seus apps funcionem mesmo longe do iPhone.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

Apesar da novidade ser interessante, ela ainda não significa que os usuários poderão usar o relógio de forma completamente independente do iPhone, mas sim que a Apple está ampliando o acesso a alguns recursos sem a necessidade de estar perto do smartphone.

A forma de interagir com os aplicativos no Apple Watch também será modificada no watchOS 2. Agora os desenvolvedores vão poder aproveitar recursos como o Taptic Engine, a Digital Crown, o acelerômetro, o sensor de frequência cardíaca, o alto-falante e o microfone. Por exemplo, o app Strava usa o sensor de frequência cardíaca para coletar e mostrar dados enquanto você se exercita.

A atualização de software é o primeiro grande passo da Apple no processo de tornar o seu relógio mais útil. A empresa não tem falado publicamente sobre a quantidade de relógios vendidos até agora, mas, de acordo com o vice-presidente de operações da Maçã, Jeff Williams, eles já venderam "muitos" Apple Watches.

Para Adam Grossman, fundador da empresa por trás do app Dark Sky, o Apple Watch vai ser muito parecido com o iPod original. "Ele começa abaixo das expectativas. Ele não tem um monte de recursos que as pessoas querem. Mas, lentamente, ao longo dos anos, à medida que ele melhora, mais pessoas se animam e compram um. Eu acredito que será um longo processo até convencer as pessoas a comprarem um Apple Watch, mas eu definitivamente estou animado com isso", disse Grossman.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.