Apple vai exigir mais telas OLED do que empresas serão capazes de fornecer

Por Redação | 17.11.2016 às 10:26 - atualizado em 17.11.2016 às 10:40

São cada vez mais sólidos os relatos de que a Apple realmente utilizará displays OLED nos iPhones que serão lançados no ano que vem. Depois de o presidente da Sharp confirmar que produzirá telas com essa tecnologia para a Maçã, agora é a vez da Bloomberg falar sobre o assunto.

Em um relatório publicado nesta quarta-feira (16), a agência de notícias afirma que os fornecedores de telas OLED terão dificuldades para atender a demanda da Apple para os iPhones em 2017. Para entregar todos os pedidos, as fábricas teriam de passar por uma readequação em suas linhas de produção, um processo que só seria concluído em 2018.

Devido a essa restrição de produção, a Apple estaria considerando limitar a utilização do novo painel a apenas um dos três modelos que supostamente lançará no ano que vem. Segundo o analista Ming-Chi Kuo, esse modelo seria uma espécie de versão comemorativo aos dez anos do smartphone da marca.

Mesmo assim, a Bloomberg diz que Cupertino tem expectativas elevadas para o modelo e teria encomendado cerca de 100 milhões de displays OLED de pelo menos 5 polegadas. E quem deve se beneficiaria diretamente disso é a Samsung.

Atualmente, a sul-coreana é a única a empregar amplamente a tecnologia em seus smartphones. Por isso, a Apple acabou fechando um acordo de fornecimento exclusivo de telas OLED para 2017. Isso, no entanto, não garante que a Samsung conseguirá dar conta do recado, já que ela também tem uma demanda interna para os Galaxy S7 e S7 Edge.

Como ainda deve demorar um tempo até que a Sharp finalize suas novas instalações no Japão, isso deixaria a Apple completamente nas mãos da Samsung no ano que vem. E isso é algo que a norte-americana não gosta.

Independentemente disso tudo, parece que é certo que veremos o primeiro iPhone com tela OLED chegando às lojas no ano que vem. Aguardemos.

Via Bloomberg, MacRumors