Apple vai abrir um centro de pesquisa na França para melhorias nas câmeras

Por Redação | 14.07.2016 às 22:50 - atualizado em 15.07.2016 às 16:47

As câmeras do iPhone sempre foram muito elogiadas pelos usuários do aparelho. Apesar de virem com um "número baixo" de megapixels, elas entregam fotos com uma excelente qualidade, visto que a fotografia requer muito mais do que apenas quantidade. A Apple sabe usar muito bem algo que é relativamente pouco para entregar mais resultados, e parece que dessa vez a empresa quer investir em sérias melhorias para as câmeras de sua linha de smartphones.

No ano passado a empresa havia afirmado que trabalhavam, só na parte relacionada ao desenvolvimento de tecnologia para as câmeras, mais de 800 engenheiros. E apesar de o primeiro modelo não ter vindo com a melhor das câmeras, a cada nova edição a Apple parece investir mais pesado na fotografia mobile.

Agora a empresa está oficialmente abrindo um laboratório de pesquisa na França com um time de mais ou menos 20 a 30 pessoas – entre engenheiros e pesquisadores – dedicados à melhoria dos sensores de câmera dos iPhones e dos iPads. O site francês iPhon.fr disse que a empresa atuará em parceria com o STMicroelectronics, que é um de seus fornecedores.

O site MacRumors divulgou que a Apple já havia, há mais de um ano, começado pesquisas e desenvolvimento de na área de imagem no Centro de Pesquisa Minatec European, mas que resolveu estabelecer seu próprio espaço de pesquisa. Ainda segundo o site, esta nova localização dará à empresa a possibilidade de contratar novos pesquisadores e engenheiros, além de funcionar em um espaço de aproximadamente 800 metros quadrados.

Esta não é a primeira vez que aparecem notícias de que a empresa da Maçã estaria iniciando atividades em outros países. Alguns meses atrás foi reportado que ela havia aberto um laboratório de pesquisa em Taiwan, com mais de 50 engenheiros trabalhando no desenvolvimento de displays com uma tecnologia melhor – mais finos, mais brilhantes e com mais eficiência de energia.

Fonte: BGR