Apple também solicita mudanças na legislação de carros autônomos na Califórnia

Por Redação | 01 de Maio de 2017 às 09h20

A Apple enviou uma carta ao departamento de trânsito da Califórnia solicitando que o órgão reveja medidas que podem prejudicar os carros autônomos na cidade. Com isso, a empresa se junta a outras do setor de automóveis autônomos, como Tesla, Uber, Ford e Waymo a fim de convencer as autoridades a repensarem a legislação específica a respeito dos veículos que dispensam a ação dos motoristas para se guiarem pelas ruas.

Segundo informa a agência Reuters, a carta da Apple visa convencer as autoridades de que há falhas na proposta de regulamentação dos carros autônomos feita pelo estado. No texto redigido pelo diretor de produto da Apple Steve Kenner, a empresa alega que a ideia de “relatório de desengajamento” proposta pelas autoridades pode causar confusão no público sobre quando os veículos devolvem o controle da direção ao motorista humano.

Nesta semana, o órgão de trânsito da Califórnia determinou que os testes realizados pelas empresas do setor deveriam emitir um relatório informando quantas vezes exatamente a condução do veículo saiu do modo automático para voltar às mãos de um condutor humano. Isso serviria para identificar quantas vezes uma intervenção humana foi necessária graças a falhas de sistema, tráfego intenso, condições climáticas ou mesmo problemas na pista.

Para a Apple, tal medida pode comprometer os testes dos veículos que dispensam motoristas, “restringindo tanto o design quanto o equipamento que pode ser utilizado nos veículos”. A posição da Apple vem menos de um mês depois de a companhia conseguir uma liberação para testar veículos autônomos.

Outras empresas também reclamam

Outras companhias que trabalham com carros autônomos também se posicionam de forma contrária a algumas medidas impostas pelo estado da Califórnia. A Tesla aponta que impedir testes com veículos acima de 4.535 kg poderia minar a inovação na indústra, pois interromperia o planejamento de soluções para transporte de carga, por exemplo.

A GM e a Waymo se posicionaram contrárias à proposta de responsabilização das empresas. Para a GM, tal regulamentação poderia causar penalidades às fabricantes mesmo sem responsabilidade direta em acidentes. Já a subsidiária da Alphabet solicita a remoção total deste termo da legislação local.

A Uber, que também tem os veículos autônomos em seu radar de inovações, acredita que a Califórnia deveria permitir o pagamento de pessoas para rodar em carros autônomos com a presença de motoristas humanos. Outra companhia de compartilhamento de caronas, a Lyft, aponta que a as fabricantes não deveriam precisar de autorização para testar este tipo de veículo.

O governo da Califórnia garantiu que pretende analisar todas as sugestões antes de decidir se realiza ou não qualquer alteração em sua atual legislação de trânsito. O fato é que a disputa entre as empresas e a lei deve se arrastar por mais um tempo.

Fonte: Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.