Apple revela resultados do quarto trimestre fiscal do ano nesta noite

Por Redação | 27.10.2015 às 10:59 - atualizado em 27.10.2015 às 13:13

Embora a Apple tenha anunciado que vai revelar o relatório fiscal com os resultados do último trimestre na noite desta terça-feira (27), a apreensão em torno desses números é bastante grande. Como o período abrange o lançamento do iPhone 6s e iPhone 6s Plus, investidores, imprensa e os próprios fãs estão curiosos para saber se a última geração de smartphones da empresa apresentou o desempenho (e os rendimentos) que todos esperavam.

Pode parecer algo apenas para satisfazer a curiosidade e o ânimo dos fãs, mas não é só isso. Esses dados podem ter um impacto bem maior sobre as ações da companhia, que podem subir ou descer dependendo daquilo que for mostrado nesta terça. Afinal, um bom resultado pode mostrar aos investidores que ainda é seguro apostar na Maçã de Cupertino e isso faz com que a marca fique ainda mais valiosa. Por outro lado, uma queda nas vendas e um resultado abaixo do esperado podem mostrar que o público não está mais tão interessado assim em novos iPhones e isso pode afugentar alguns acionistas.

Esse pequeno jogo de interesses é algo que pode ser facilmente notado ao longo dos últimos anos. O site Business Insider trouxe um pequeno gráfico que mostra como as ações da Apple oscilaram ao longo dos últimos quatro anos. E é curioso notar como a chegada de novos smartphones sempre ajuda a impulsionar essa valorização. O lançamento do iPhone 5, em setembro de 2012, marcou um crescimento absurdo em relação ao que a empresa apresentava até então e, depois de uma queda natural nos meses seguintes, ela apresentou outro salto gigantesco com o iPhone 6.

Ações Apple

E é exatamente por conta desse crescimento anormal no último ano que muita gente segue apreensiva com os resultados de 2015. Como pode ser visto na imagem acima, o lançamento dos modelos com tela de 4,7 e 5,5 polegadas deu um novo gás à companhia — tanto que 63% de sua receita no mesmo período do ano passado veio apenas desses aparelhos. Porém, como o iPhone 6s nada mais é do que uma atualização desse conceito, é difícil acreditar que teremos um movimento parecido. Como o Business Insider destaca, uma queda dos iPhones é quase como uma queda da própria Apple.

Além disso, há o fator China envolvido. O país asiático é um dos principais mercados do smartphone, mas está passando por uma forte crise econômica e isso pode diminuir drasticamente as vendas e impactar de maneira bem negativa os relatórios desta noite — além de já ter assustando os próprios acionistas.

Via: Business Insider