Apple pode trazer produto voltado para acompanhamento médico (e não é o Watch)

Por Redação | 10 de Novembro de 2015 às 15h42
Tudo sobre

Apple

Apesar de todo o burburinho causado pelo Apple Watch desde seu lançamento, a verdade é que a sua real utilidade ainda é um grande mistério para muita gente. É claro que ele facilita a vida de muita gente graças à sua integração com o iPhone, mas o seu uso principal está no acompanhamento de atividades físicas e de questões de saúde. Contudo, parece que a fabricante não está interessada em enquadrar seu relógio nessa categoria.

Em entrevista ao jornal britânico The Telegraph, o CEO da Apple disse que não pretende regulamentar o smartwatch como um dispositivo médico e que, se for para atender esse tipo de mercado, a empresa prefere trabalhar em outros produtos voltados especificamente para esse nicho. Segundo Tim Cook, fazer com que o Apple Watch seja vistoriado pela Food and Drug Administration (FDA), órgão americano destinado ao setor, iria afetar o ciclo de lançamento do aparelho, comprometendo as inovações que a companhia tem em mente para ele.

Isso não quer dizer, porém, que Cook seja contra trazer algo dentro desse setor. Embora a ideia não seja transformar o Apple Watch em um acessório médico, ele diz que existem chances de a companhia não descartar a possibilidade de trazer outro produto para este fim. Segundo o presidente da Maçã de Cupertino, isso pode ser desde um aplicativo ou mesmo algo um pouco maior que se encaixe dentro das especificações do órgão.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O ponto em questão é que, de acordo com as normas do FDA, qualquer aparelho que seja usado para diagnosticar ou tratar uma doença precisa ser devidamente regulamentado — e é por isso o cuidado em impor limites ao Apple Watch. Assim, enquanto o monitoramento cardíaco e o foco em atividades físicas não se enquadram nas especificações do FDA, qualquer coisa a mais pode entrar em sua jurisdição e colocar os freios no relógio que a empresa quer evitar.

O curioso é que essa é a primeira vez que a Apple se preocupa de verdade em dizer que o seu smartwatch não é voltado para fins médicos, principalmente se lembrarmos do foco que a empresa deu no cuidado com a saúde na época de seu lançamento. Ao mesmo tempo, a sugestão de termos outro produto voltado para esse segmento é uma grande surpresa até mesmo para os fãs da marca.

Fonte: The Telegraph, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.