Apple pode entrar no mercado de streaming com filmes e séries originais

Por Redação | 01.09.2015 às 13:15

Falta quase uma semana para o evento no qual a Apple deve anunciar seus novos produtos, incluindo as novas versões do iPhone e da Apple TV. Só que, além de um novo set-top box para sala de estar, a empresa pode revelar um fato decisivo para alavancar a popularidade do dispositivo: a produção de conteúdos originais.

De acordo com a revista Variety, fontes familiarizadas com o assunto afirmam que, há algumas semanas, a companhia está em negociações com executivos de Hollywood para avaliar seu interesse na criação de programação original de entretenimento. A gigante de Cupertino teria como objetivo criar divisões de desenvolvimento e produção, que ficariam encarregadas pela produção desses programas. Além disso, a empresa espera iniciar as contratações para essa nova divisão nos próximos meses, mas ainda não se sabe se o foco será sobre séries de TV, filmes, ou ambos.

Ainda segundo a publicação, os planos da Apple ainda estão em fase inicial, mas a entidade está há meses discutindo as possibilidades para entrar de vez no mercado de streaming. Os informantes disseram que, em julho, a companhia fez propostas a Jeremy Clarkson, James May e Richard Hammond, todos apresentadores do Top Gear. No entanto, a Amazon fechou um acordo com eles no mesmo mês para um programa que deve estreiar em 2016.

É cedo para tirar conclusões sobre um possível serviço de streaming próprio da Apple. Dinheiro a empresa já tem de sobra, e não é de hoje que circulam rumores sobre essa tal plataforma.

Poucos dias antes do início da Worldwide Developers Conference (WWDC) 2015, em junho, o Recode afirmou que a companhia teve de adiar o lançamento do serviço porque estaria enfrentando dificuldades junto às detentoras de conteúdo, que a estariam impedindo de fechar grandes acordos de licenciamento. Se for verdade, isso significa que a Maçã também disponibilizaria conteúdos de terceiros em sua plataforma — pelo menos num primeiro momento —, além da programação das principais emissoras de TV dos Estados Unidos.

Contudo, a entrada da Apple no mercado de vídeos sob demanda e o lançamento de conteúdos originais nesse serviço podem representar uma estratégia ambiciosa para empresas do setor. A começar pela Netflix, que nesta segunda-feira (31) anunciou o fim do seu contrato com o canal de televisão norte-americano Epix. A parceria, que não será renovada, garantia à Netflix exclusividade a grandes produções cinematográficas, como Jogos Vorazes, Guerra Mundial Z e Transformers.

O fim desse contrato sinaliza uma manobra de como a Netflix quer operar futuramente: disponibilizar o maior número possível de conteúdo original. Basta ver a quantidade elevada de seriados próprios lançados pela companhia nos últimos anos, que incluem sucessos como Orange is the New Black, House of Cards, Sense8, Demolidor e mais recentemente Narcos. Até o Brasil está nos planos da empresa, que começa a filmar no ano que vem a série 3%, inteiramente produzida por aqui.

Como a Apple estaria há meses negociando com executivos de Hollywood, é provável que a Maçã siga essa mesma estratégia. Resta esperar por um possível anúncio no evento da próxima quarta-feira (9).

Fonte: Variety