Apple estaria atrasando atualizações no app do Tidal

Por Redação | 27 de Abril de 2015 às 16h55

Já se vão alguns meses desde a compra da Beats Electronics, mas até agora, nada da Apple falar abertamente ou revelar datas de relançamento do Beats Music, seu (agora) serviço musical proprietário. Mas isso não estaria impedindo a empresa de tentar lutar contra a concorrência, com denúncias ligadas ao mercado musical indicando que a Maçã estaria atrasando o lançamento de atualizações do aplicativo do Tidal para iOS.

As afirmações foram feitas por fontes que preferiram não se identificar. De acordo com os informantes, os responsáveis pelo serviço musical de Jay-Z teriam submetido ao Google e à Apple, no começo de abril, as novas versões do app para acesso ao Tidal. No Android, o software foi liberado em 15 de abril, mas até agora não deu as caras no iOS, no que vem sendo visto como uma maneira proposital de minar a concorrência.

A ausência de novas funções e suporte à nova cara do Tidal também teriam sido responsáveis pela queda no número de downloads da aplicação, que não estaria nem entre as 700 mais baixadas da App Store. A falta de atualizações, e principalmente destaque, teriam levado a uma baixa adoção do serviço no iOS, algo que estaria sendo enxergado no mercado como uma forma nada honesta de combater a concorrência e privilegiar o Beats Music, uma plataforma que ainda nem mesmo tem previsão de relançamento.

As mesmas fontes também afirmaram que a Apple estaria dificultando a vida de gravadoras e artistas que possuem contratos com o Tidal e estariam lançando suas músicas como exclusividade temporária do serviço. Um exemplo disso seria a cantora Rihanna, cujo single “American Oxygen” foi liberado desta maneira, e na App Store não recebeu destaque algum, permanecendo junto ao restante do portfólio da artista e chegando a permanecer fora do ar em diversos momentos.

Oficialmente, a Apple negou tais acusações, afirmando que os relatos sobre a música de Rihanna não são verdadeiros. Além disso, disse que não toma atitudes deliberadas para minar a concorrência, citando serviços musicais como o Spotify e o Pandora, que apresentam grande sucesso na App Store, sem encontrar empecilhos para seu funcionamento.

A queda nos números do Tidal levou muita gente a acreditar que o serviço teria falhado em chamar a atenção devida após seu lançamento. Todo o burburinho inicial, afirmam especialistas, não teria se convertido em número de assinantes, nem retorno financeiro, uma vez que, por mais que tenham apreciado a ideia de oferecer uma maior qualidade de áudio, os consumidores não teriam aceitado muito bem a ideia de que a plataforma somente seria acessível por meio de assinaturas.

Em resposta, o rapper e diretor do Tidal, Jay-Z, disse que a novidade já tem mais de 770 mil usuários pagantes, um total que cresce a cada dia. Além disso, usou a própria iTunes Store como exemplo, afirmando que nenhum serviço digital ganha tração absoluta logo após seu lançamento, muitas vezes levando anos para se estabelecer como uma plataforma lucrativa. Ele não espera que seja diferente com sua plataforma, apesar de ter percebido que o suporte de grandes astros da música foi primordial para um ganho extra de tração.

Enquanto isso, crescem cada vez mais as expectativas quanto ao relançamento do Beats Music, que pode ser anunciado no começo de junho, quando a Apple realiza a edição 2015 do WWDC, seu evento dedicado aos desenvolvedores, mas também usado por ela para revelar novidades ao público. Rumores apontam que os diretores da plataforma, o rapper Dr. Dre e o produtor musical Jimmy Iovine, já estariam há alguns meses em contato com artistas e gravadoras para alavancar a renovação da plataforma, que também apostaria em conteúdo exclusivo para se diferenciar de concorrentes já estabelecidos no mercado.

Fontes: The New York Post, Apple Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.