Apple é acusada de homofobia por versão russa da Siri

Por Redação | 16.04.2015 às 13:16
photo_camera Divulgação

Recém-lançada com suporte ao português falado no Brasil, a assistente virtual do iPhone e do iPad tem protagonizado um caso polêmico em sua versão russa. Acontece que a Apple tem sido acusada de praticar homofobia porque o software se recusa a responder perguntas com as palavras "gay" e "lésbica" quando está programado no idioma russo.

Tudo começou com um vídeo divulgado em sites como YouTube e Reddit que viralizou nesta semana nas redes sociais. Um homem identificado como Alex, que nasceu na Rússia e hoje mora em Londres, decidiu gravar as respostas da Siri quando perguntada sobre clubes destinados ao público LGBT. Mal-educada, a assistente faz piada com a questão. O usuário ainda pergunta ao programa sobre o casamento gay, mas a plataforma da Maçã continua com as grosserias.

"O casamento gay é normal?", pergunta Alex, que ouve da Siri um "Eu acho que esta emoção deve ser considerada negativa". Em outro momento do vídeo, o internauta questiona como fazer para registrar um casamento gay na Grã-Bretanha, até ver a resposta da Siri de que ela vai "fingir não ter escutado isso".

"Estava com amigos que tinham feito a última atualização do software e vi que estava disponível uma versão da Siri em russo. Começamos a fazer perguntas usando a palavra 'gay' e recebemos algumas respostas muito estranhas. A palavra 'lésbica' também resultou em respostas estranhas", comentou Alex, que descobriu o "bug" por acaso.

Para comprovar que as afirmações são reais, a BBC Rússia testou a assistente na semana passada e recebeu as mesmas respostas que estão no vídeo publicado por Alex. No entanto, o software parece ter sido atualizado pela Apple após a reportagem. Por meio de um comunicado oficial, a Maçã disse que as respostas foram resultado de um erro no sistema e que tudo já foi consertado, mas as discussões ainda têm gerado controvérsias na internet.

"Posso entender que uma companhia precise se adaptar à legislação de um país. Mas não houve explicação sobre o porquê disso ter acontecido", disse Alex.

Alex se refere ao fato de que a legislação russa criminaliza o homossexualismo. Como explica a BBC, direitos gays são um assunto alvo de grandes debates na Rússia, que em 2013 aprovou uma lei banindo a "propaganda gay" que proibe veicular informações sobre homossexualidade para menores de 18 anos. Logo, a Siri teria que se adequar às leis daquele país.

Fizemos as mesmas perguntas à Siri em português do Brasil, mas, ao que tudo indica, as respostas de cunho homofóbico só aconteciam para usuários que têm o russo como idioma padrão nos iPhones e iPads. Em nossas respostas, a assistente "desconversou" o assunto ou mostrava resultados fora do contexto das questões.

Siri

Em português, Siri exibe resultados sobre casamento gay no Brasil, mas não sabe como responder a boates gays. (Foto: Reprodução/Canaltech)

Fonte: BBC