Apple desmente rumores de que lançará operadora própria de telefonia celular

Por Redação | 04 de Agosto de 2015 às 15h07
photo_camera Divulgação

O rumor de que a Apple poderia lançar uma operadora própria de telefonia móvel não passava disso: um rumor. Sem revelar muitos detalhes, a companhia disse à rede CNBC de que não tem planos de entrar nesse mercado.

"Apple afirma que não discute e não tem planos de lançar um serviço MVNO de celular, de acordo com rumores que disseram que a companhia planejava isso", disse a CNBC em sua conta no Twitter. Para quem não sabe, MVNO (Mobile Virtual Network Operator), ou Operador Móvel Virtual, é um modelo de negócio adotado por várias empresas que oferecem serviços de telefonia móvel utilizando a rede de outras operadoras.

A informação de uma suposta operadora móvel comandada pela Apple foi divulgada inicialmente pelo site Business Insider. Segundo a reportagem, a fabricante do iPhone teria fechado parcerias com empresas como Sprint e AT&T, e que testes fechados já estariam acontecendo nos Estados Unidos. Fontes familiarizadas com o assunto disseram que os experimentos estariam em fase inicial, e que o projeto só teria um lançamento comercial a partir de 2020.

Ainda de acordo com os informantes, o objetivo dessa rede móvel própria seria oferecer a melhor qualidade de serviço com base na localização do usuário. Ao identificar sua posição, um avançado sistema de análise redireciona o dispositivo para a infraestrutura com maior disponibilidade para garantir um funcionamento mais apurado.

Embora a Apple venha a público desmentir o lançamento de uma operadora móvel, faria todo o sentido a empresa entrar nesse mercado. Primeiro, para ter mais controle sobre os próprios aparelhos, uma vez que o iPhone é um dos celulares mais vendidos no mundo. E segundo, para diminuir sua dependência do Google, que já conta com uma iniciativa nesse segmento: o Project Fi.

Lançado em abril deste ano, o Project Fi será vendido pelas operadoras americanas Sprint e T-Mobile. Estas, por sua vez, vão emprestar suas respectivas redes e infraestrutura para garantir ao consumidor a melhor conexão possível de acordo com sua localização, seja ela a partir de um dos mais de um milhão de hotspots Wi-Fi ou por meio de internet 4G. Os números de telefone do Project Fi são hospedados na nuvem.

Para dar mais segurança e proteção aos clientes, o Google afirma que todos os dados trafegados pelas redes são criptografados. Quanto aos planos, o usuário poderá adquirir uma assinatura que custa US$ 20 mensais e dá direito a recursos básicos, como ligações telefônicas, torpedos e roaming internacional em mais de 120 países. Por enquanto, o Project Fi está disponível apenas para donos do Nexus 6 nos Estados Unidos.

Fonte: CNBC (Twitter)