Apple demite funcionários que fotografaram mulheres em suas lojas sem permissão

Por Redação | 15.10.2016 às 19:45
photo_camera Divulgação

Aconteceu mais um escândalo envolvendo a Apple e fotos compartilhadas sem consentimento — e desta vez não é nenhum Celebgate. Funcionários de uma Apple Store na Austrália resolveram tirar fotos sem permissão de várias mulheres que compravam na loja para, depois, brincarem de dar nota a cada uma delas pela aparência física.

Quatro homens que trabalhavam na loja australiana de Carindale, em Brisbane, foram demitidos. Inclusive, de acordo com membros do quadro de funcionários, as fotos não ficavam restritas apenas às clientes femininas, como também às moças que trabalhavam na equipe. Como se não bastasse tamanha falta de respeito, os envolvidos também teriam roubado fotos íntimas dos iPhones das clientes que os deixavam na loja para conserto.

Segundo relatos de colegas de trabalho dos homens ao jornal local Courier Mail, as fotos foram compartilhadas e até mesmo trocadas entre os quatro, que se auto-apelidaram de "sociedade do compartilhamento de fotos". Cada um deles dava uma nota de 0 a 10 para o corpo e a beleza da cliente fotografada.

A Apple levou o incidente a sério e enviou um executivo de recursos humanos à loja australiana para resolver o escândalo. A Maçã confirmou que ainda está investigando a equipe desta Apple Store em busca de possíveis violações do código de ética da empresa, reforçando veementemente que não tolera este tipo de comportamento e que isso vai contra os seus valores. No entanto, a empresa nega que as fotos foram roubadas dos iPhones das clientes, e também diz que não há provas de que as mulheres da equipe foram fotografadas sem permissão.

Fonte: Courier Mail