Apple anuncia receita de US$ 51,5 bilhões no último trimestre fiscal de 2015

Por Redação | 27 de Outubro de 2015 às 19h01
photo_camera Divulgação

Nesta terça-feira (27), a Apple anunciou seu resultado financeiro referente ao terceiro trimestre de 2015 e superou as expectativas dos analistas ao anunciar uma receita de US$ 51,5 bilhões – um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano anterior – e lucro líquido trimestral de US $ 11,1 bilhões.

Analistas consultados pelo Business Insider esperavam uma receita de US$ 51,04 bilhões e ganhos por ação de US$ 1,88, mas o número anunciado pela empresa também foi maior: lucro de US$ 1,96 por ação no período.

A Maçã vendeu 48,05 milhões de unidades de iPhones no último trimestre, um número inferior aos 48,5 milhões esperados. De acordo com o anúncio da companhia, 30% dos compradores de iPhones no período eram antigos usuários de Android.

Mais do que qualquer outro produto, o iPhone ainda é o eixo do lucro da Apple. Ele foi responsável por quase 63% da receita no trimestre. Como o período abrange o lançamento do iPhone 6s e iPhone 6s Plus, o mercado estava agitado para saber os números alcançados pela empresa nos últimos três meses.

No período, foram vendidos 9,88 milhões de unidades de iPads, um número 20% abaixo do esperado pelos analistas. Já os Macs superaram as expectativas com 5,71 milhões de unidades vendidas. As vendas internacionais da empresa representaram 62% da receita do trimestre.

A Apple não divulgou as vendas separadas do Apple Watch, seu primeiro novo hardware lançado desde 2010. As vendas do relógio inteligente foram somadas às vendas da Apple TV, do iPod e dos acessórios da Beats na categoria "outros produtos", e o número aumentou 61%, atingindo a marca de US$ 3,04 bilhões.

"O ano fiscal de 2015 foi o de maior sucesso para a Apple, com a receita crescendo 28% para cerca de US$ 234 bilhões. Este contínuo sucesso é resultado do nosso compromisso de fazer os melhores e mais inovadores produtos da Terra", comemorou o CEO Tim Cook.

Quem também merece destaque é a China, região onde a Apple se tornou uma marca premium e os iPhones estão sendo comparados às bolsas Prada e relógios Rolex. As vendas para a Grande China, que inclui Hong Kong e Taiwan, subiram 99%, chegando a US$ 12,5 bilhões. Apesar da boa notícia, as vendas diminuíram ligeiramente em relação ao trimestre anterior, durante um período em que o restante do mercado de smartphones chinês desacelerou visivelmente.

Fonte: Apple via Business Insider

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.