Apple agora é cliente de cloud computing do Google

Por Redação | 17 de Março de 2016 às 12h39

Concorrentes no mercado mobile, mas não nos bastidores, Apple e Google acabam de assinar um contrato multimilionário para utilização da infraestrutura de cloud computing da gigante das buscas. O acordo, que tem um valor estimado entre US$ 400 milhões e US$ 600 milhões, não teve teor divulgado, mas parece prever a utilização da infraestrutura nas nuvens para fortalecer o iCloud, sistema de armazenamento para os aparelhos da Maçã, ou outras plataformas online, como a iTunes Store ou a App Store.

Até agora, além de sistemas próprios, a Apple utilizava os servidores da Amazon, através de sua plataforma de Web Services, para fornecer a plataforma para seus usuários. Não se sabe ao certo quanto do investimento que era feito para a parceira passa para as mãos da rival, nem se se trata de um novo contrato, que não interfere na aliança anterior. É desconhecido, também o período do acordo – se o altíssimo valor pago é total ou anual, por exemplo.

Seja como for o caso, a mudança de servidores parecer ser uma alternativa para corte de custos. De acordo com um relatório da Morgan Stanley, a Apple gastaria cerca de US$ 1 bilhão ao ano com os serviços da Amazon que estão por trás do iCloud. A ideia é que o novo contrato com a Amazon seja anual, o que indica um corte de pelo menos metade desse valor, reduzindo o impacto sobre os caixas da Maçã ao mesmo tempo em que a empresa continua aliada a um dos principais nomes da computação nas nuvens.

Enquanto o teor do contrato não é revelado – algo que nem deve acontecer, uma vez que a política de silêncio e segredo da Apple também se aplica a seus bastidores –, as atenções se voltam para Diane Greene, que desde novembro, é vice-presidente dos negócios de cloud computing do Google. É a ela que se atribuem negócios como esse, e o firmado recentemente com o Spotify, que também está utilizando a plataforma da gigante e da Amazon ao mesmo tempo.

Para muitos especialistas, o novo contrato entre Google e Apple representa um sinal de alerta para a Amazon, que vem perdendo cada vez mais clientes neste começo de ano. O Dropbox, por exemplo, já anunciou que está deixando os servidores da empresa em troca de uma infraestrutura própria, e a tendência é que, com grandes nomes ao lado da gigante, desde pequenos até outras empresas de renome também sigam o mesmo caminho.

Fonte: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.