Após recorde, ações da Apple começam a cair

Por Redação | 28.04.2015 às 13:40

Parece que o mercado financeiro acordou nesta terça-feira (28) pensando no futuro, e não no presente. Após a divulgação de um resultado esmagador pela Apple, com faturamento e lucros bem acima do esperado, a empresa teve uma valorização recorde em suas ações na Bolsa para, horas depois, ver seu valor caindo cerca de 2% no começo do pregão.

Apesar de envolver números, termos financeiros complicados e a imprevisibilidade sempre presente no mercado de ações, o funcionamento disso chega a ser simples. A divulgação dos resultados trouxe, como sempre, bastante empolgação aos investidores, que viram os bons números de vendas do iPhone 6 e a expectativa por novos produtos, como o Watch, transformando as cotas da Maçã em boas oportunidades.

Depois, porém, veio a ideia de que recordes históricos e altas absurdas nem sempre são fáceis de serem mantidos. Ou seja, a ideia dos especialistas é que os números astronômicos da Apple dificilmente se repetirão ao longo dos próximos períodos, já que a empolgação por novos lançamentos chega ao fim e os consumidores começam a olhar para a frente, na direção de novas gerações de equipamentos que ainda não têm data para dar as caras.

Existem até aquelas previsões mais negativas, apontando que, a partir de agora, não existe outro caminho para a fabricante a não ser para baixo. A alta histórica tanto em faturamento quanto em valor de ação deve ser seguida por pouco crescimento ao longo dos próximos anos, um movimento que deve ser sentido já no final de 2015, na sempre tradicional e concorrida época de Natal.

Afinal de contas, como todos sabemos, este é o ano em que a empresa libera no mercado versões repaginadas de seus produtos atuais. Ou seja, teremos algo como o iPhone 6S e um movimento mais fraco, já que muitos compradores da versão corrente do celular podem não fazer questão de pagar caro por mudanças de hardware.

Esses fatores, combinados, motivaram uma venda em massa das ações da Apple nas primeiras horas desta terça. No momento em que essa reportagem é escrita, os papeis da companhia operam com baixa de 2,4% e queda de mais de 6,7% no índice Dow Jones, que mensura a confiabilidade das companhias listadas na Bolsa para o futuro.

Tudo o que sobe, claro, tem que cair. Agora, resta saber o que a Apple vai fazer para lidar com esse movimento e de que forma vai reagir às expectativas negativas em torno de seu futuro.

Fonte: Business Insider