Após fiasco do Galaxy Note7, lucros da Samsung despencam 30%

Por Redação | 27 de Outubro de 2016 às 07h21

As previsões da Samsung, feitas duas semanas atrás, de que o recall do Galaxy Note7 causaria um rombo de US$ 5 bilhões em suas contas se confirmaram. Nesta quarta-feira (26), a empresa sul-coreana divulgou seus resultados financeiros referentes ao último trimestre e os números mostram o tamanho do estrago feito pelo smartphone explosivo.

A receita foi de US$ 42 bilhões nos últimos três meses, um valor 7,5% inferior ao mesmo período do ano passado. O lucro operacional, por sua vez, despencou absurdos 30%, para apenas US$ 4,56 bilhões - o menor valor em dois anos.

O estrago foi ainda maior na divisão mobile da fabricante. A Samsung confirmou que os lucros do segmento caíram 96% em relação ao terceiro trimestre de 2015. Naquela época, a divisão registrou ganhos de US$ 19,8 bilhões; agora esse valor é de apenas US$ 87,8 milhões.

Tentando salvar o barco

Ainda durante a reunião com os acionistas, J K Shin, codiretor executivo da Samsung Electronics, admitiu que os resultados eram "inaceitáveis" e pediu desculpas por não ter conseguido manter os padrões de qualidade dos produtos.

"A Samsung irá rever e reexaminar todos os processos de engenharia, manufatura e controle de qualidade", prometeu o executivo. "Sabemos que devemos trabalhar muito para reconquistar a confiança de vocês e estamos comprometidos em fazê-lo".

Além do pedido de desculpas de Shin, os acionistas aprovaram a entrada de Lee Jae-Yong para o conselho diretor da fabricante. Filho do patriarca Lee Kun-hee, que esteve à frente das operações da companhia até 2014, Lee chega para coordenar as tomadas de decisão nesse momento de alta criticidade para a Samsung.

Internamente, a nomeação vem sendo vista como "benéfica" a "longo prazo" e a expectativa é que o executivo de 45 anos dê mais jovialidade à marca. "Acredito que uma nova era está chegando. A companhia se tornará muito mais amigável ao mercado", apostou Lee Chaiwon, diretor de investimentos da consultoria Korea Value Asset, em entrevista à Bloomberg.

Agora, a expectativa para este trimestre é que a Samsung estabilize suas vendas e continue focando no Galaxy S7 e S7 edge no segmento topo de linha. Além disso, a empresa deve começar a propagandear mais a linha intermediária Galaxy A e a de entrada Galaxy J para cobrir pelo menos uma parte do rombo gigantesco deixado pelo Note7.

E isso deve continuar até a empresa anunciar o Galaxy S8, que deve dar as caras oficialmente durante o Mobile World Congress em fevereiro de 2017. Vários rumores já dão conta das especificações e aparência do aparelho, mas, oficialmente, ainda não ouvimos uma palavra sequer da Samsung sobre o dispositivo.

Via Android Central, The Guardian, CNET

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.