Após aquisição da EMC, Dell pretende emitir US$ 20 bilhões em títulos de dívidas

Por Redação | 20.05.2016 às 15:50
photo_camera Divulgação

A venda de títulos de dívidas será o recurso utilizado pela Dell para financiar parte dos US$ 67 bilhões usados no processo de aquisição da EMC, fornecedora de sistemas de armazenamento. Após a compra, a fabricante de PCs pretende emitir US$ 20 bilhões em títulos em até seis partes, segundo informações do canal de televisão CNBC. Alguns títulos podem ter juros de 6,5%, com prazo de vencimento de três a 30 anos, bem como obrigações de taxa variável de três anos e cinco anos.

Com isso, são recordes atrás de recordes para uma das maiores fabricantes de PCs do mundo, com a Dell atrás apenas da maior cervejaria do planeta, a Anheuser-Busch InBev, que emitiu de US$ 46 bilhões. Caso qualquer um dos valores seja confirmado, a oferta da Dell se configurará entre as dez maiores emissões de títulos de todos os tempos, segundo a consultoria Dealogic.

Na categoria das empresas de tecnologia que pagam as taxas mais altas do mercado, a Dell também só fica atrás da norte-americana fabricante de discos rígidos Western Digital e da fabricante de chips de memória Micron Technology, que, em março de 2015, realizaram ofertas de títulos com taxas de juros similares.

Taxas elevadas

A exigência dos investidores de taxas elevadas de juros para os títulos da Dell, segundo analistas, se dá, principalmente, por conta da enorme dívida assumida pela empresa. Outro ponto destacado foram as perspectivas incertas de longo prazo à medida que a empresa tenta se adaptar à mudança no cenário da indústria de tecnologia. A taxa de juros, então, proposta para um prazo de vencimento de 10 anos é de 4,75 pontos percentuais acima dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos. O rendimento médio dos títulos, comparado ao índice de títulos corporativos com grau de investimento da Barclays, estava apenas de 2 pontos percentuais abaixo do Tesouro na sexta-feira (13).

Como tudo começou?

Para quem não se lembra deste histórico episódio, a Dell fechou a compra da empresa de armazenagem de dados EMC e o anúncio aconteceu em outubro do ano passado. A fusão garantiria à Dell rápida adaptação ao novo cenário da informática, revolucionado pela telefonia móvel e pelos serviços em nuvem.

De acordo com a Dealogic, esta foi a maior fusão já registrada na área da tecnologia. E, agora, com a venda de ativos e recursos do próprio caixa desde que anunciou a aquisição, a Dell conseguiu reduzir o volume de seus títulos sem garantia de US$ 32,5 bilhões para US$ 9 bilhões. Embora tenha planejado distribuir US$ 8 bilhões de empréstimos "institucionais" para os investidores não bancários, se a empresa emitir os US$ 20 bilhões em títulos garantidos, este número poderá cair ainda mais.

Fonte TI Inside