Apesar do crescimento na receita, Uber perdeu mais de US$ 2,2 bilhões neste ano

Por Redação | 20 de Dezembro de 2016 às 07h23
photo_camera Divulgação

A Uber adora fazer mistério em relação a suas contas e, por ainda não ser uma empresa pública, não abre seus números para ninguém. Apesar disso, sempre surgem boatos a respeito da saúde financeira da startup avaliada em US$ 65 bilhões, e o mais recente deles dá conta de que a empresa perdeu aproximadamente US$ 2,2 bilhões nos nove primeiros meses de 2016.

O número foi revelado por uma fonte anônima com conhecimento de causa ao Bloomberg. Ainda de acordo com ela, somente no terceiro trimestre a Uber perdeu mais de US$ 800 milhões. É um déficit curioso, principalmente se levarmos em consideração que as receitas da startup só crescem: ao todo, ela gerou em torno de US$ 3,76 bilhões em receita líquida e espera fechar o ano em US$ 5,5 bilhões.

A fonte também alega que a Uber vem registrando aumentos sucessivos na quantidade de dinheiro que os passageiros gastam no app - um sinal de que cada vez mais gente está usando a plataforma para se deslocar nas cidades. No primeiro trimestre do ano, por exemplo, o gasto total foi de US$ 3,8 bilhões; depois ele subiu para US$ 5 bilhões no segundo trimestre; e novamente no terceiro, para US$ 5,4 bilhões.

A receita líquida - que é a quantidade de dinheiro que sobra após a empresa pagar os motoristas - foi de US$ 1,7 bilhão no terceiro trimestre; US$ 1,1 bilhão no segundo; e US$ 960 milhões no primeiro.

Diante da receita crescente, surpreende o fato de a Uber continuar perdendo tanto dinheiro. Onde ele está sendo gasto, ninguém sabe ao certo, mas rumores como esse ajudam a fortalecer a imagem de competidores como a Lyft. Recentemente, a maior rival da Uber nos Estados Unidos garantiu aos investidores que jamais reportará perdas superiores a US$ 150 milhões - o que é bem menos do que os US$ 800 milhões da Uber no último trimestre.

Via Bloomberg

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.