Analista aponta que 75% dos lucros da Apple virão de serviços em 2021

Por Redação | 20.01.2017 às 15:57

No ano fiscal de 2021, 75% dos lucros da Apple virão de serviços, apontou o analista Ben Schachter, da Macquarie Research, nesta sexta-feira (20). A mudança faz parte de um processo de transformação interno da Apple, que passará a depender cada vez menos das vendas de hardware para lucrar, mas sim da entrega de serviços para estes dispositivos.

A expectativa, segundo Schachter, é que a receita de serviços da empresa cresça, em média, 17% ao ano nos próximos quatro anos. A receita de hardware, por outro lado, crescerá apenas 2,4% no período.

"A App Store é um dos melhores modelos de negócio já criados", afirmou Schachter em nota enviada ao AppleInsider. "Investidores da Apple não precisam depender da empresa para impulsionar o modelo para a frente. Se alguém criar um jogo na garagem de seus pais em Taipei ou se a GE revolucionar os cuidados da saúde com um aplicativo, a Apple pode se beneficiar".

De acordo com o analista, a margem de lucro da App Store deverá atingir 90% dos próximos anos, enquanto serviços como iTunes, iCloud e Apple Pay terão margens próximas a 64%.

As previsões, no entanto, colocam uma expectativa baixa para lançamentos de hardware após o aguardado iPhone 8, que devem começar a trazer receitas menores no futuro. O próprio CEO da Apple, Tim Cook, parece estar de acordo com a teoria: na última conferência com investidores, em 2016, Cook afirmou que espera que a divisão de serviços da empresa atinja o tamanho de uma companhia da Fortune 100 ainda neste ano.

Neste mês, a empresa afirmou que pagou US$ 20 bilhões a desenvolvedores em 2016, em um ano no qual as receitas de subscrição da App Store cresceram significativamente – um aumento de 74% em relação a 2015. Vale lembrar: 1º de janeiro de 2017 já foi o dia mais lucrativo da história da App Store, o que indica que o setor de serviços da empresa já começa o ano com o pé-direito.

Via: Apple Insider