Amazon Web Services anuncia nova plataforma focada na Internet das Coisas

Por Igor Lopes | 08 de Outubro de 2015 às 22h13

* Em Las Vegas, EUA

A Amazon Web Services anunciou nesta quinta-feira (08) uma nova plataforma focada na internet das coisas batizada de AWS IoT. Com ela, a companhia quer facilitar o acesso de dispositivos como carros, turbinas, sensores e lâmpadas inteligentes aos seus serviços na nuvem para armazenar, processar e analisar dados.

Apesar da ideia parecer bastante simples, existe uma espessa camada de recursos que fazem parte da plataforma e que ajudarão as companhias fabricantes desses dispositivos a lidar com a massiva quantidade de dados numa escala global. Por exemplo, o Gateway de Dispositivos do AWT IoT permitirá que as corporações criem regras de ação para determinar o que deve ser feito caso um alerta de pressão anormal for emitido por um sensor ou um detector de movimentos for disparado, por exemplo.

Além disso, a companhia está apostando na criação de versões virtuais dos dispositivos, que serão embarcadas nele com todas essas instruções pré-definidas. Com isso, a AWS pretende evitar que em situações de conectividade intermitente os dispositivos não façam nada. Nesses casos de conexão limitada, os gadgets inteligentes poderão recorrer a essas instruções para tomar alguma providência em cenários emergenciais.

Possibilidades

De acordo com a AWS, aqueles que aderirem à nova plataforma poderão conectar dispositivos à nuvem e vice-versa, garantia de dados e interações seguras; processar e tomar ações baseadas em regras definidas e fazer com que aplicações interajam com dispositivos conectados até mesmo quando eles estiverem indisponíveis.

bmw series 7

BMW Series 7: tecnologia CARASSO virá embarcada nos novos modelos (Foto: Divulgação)

O leque de possibilidades foi amplamente elogiado sobretudo pelas empresas que já mantêm parceria com a AWS e já se aventuram no campo da Internet das Coisas. Na apresentação do serviço, o CTO da norte-americana, Werner Vogels, chamou vários parceiros ao palco para demonstrar como a AWS IoT trará benefícios para seus negócios. Um dos mais interessantes foi o caso da BMW, que desenvolveu, em seis meses, um sistema inteligente para carros conectados. O CARASSO (ou Car as a Sensor) virá embarcado na nova série 7 da empresa e é capaz de informar ao sistema de mapas, em tempo real, todas as variáveis daquela estrada. Pense num Waze melhorado: o CARASSO é capaz de identificar velocidades máximas das estradas e controlar esse limite para o carro; otimizar rotas com base no trânsito; avisar aos outros motoristas sobre problemas nas estradas. A diferença para os sistemas que já conhecemos é que tudo passa a ser automatizado, sem intervenção humana e com muito mais informações transmitidas. Este é um passo importante rumo aos carros autônomos, que precisarão de um mundo de informações do ambiente para não causarem acidentes.

Para Jeroen Tas, presidente-executivo da divisão de informática, soluções e serviços voltados à saúde na Philips, a chegada da AWS IoT permitirá acelerar a aquisição, processamento e tomada de ações a partir dos mais de 7 milhões de dispositivos conectados que a companhia utiliza atualmente.

Já para o pessoal da NASA, a nova plataforma da AWS trará mais poder computacional para que a agência possa integrar e processar a imensa quantidade de dados gerados diariamente por sensores em dispositivos móveis e inteligentes utilizados por ela em seus projetos. Com isso à sua disposição, a organização pretende desenvolver experiências mais significativas e conectadas baseadas na Internet das Coisas.

Curiosity Marte

Sonda Curiosity também é um bom exemplo de IoT rodando em instâncias AWS (Foto: Divulgação)

Por fim, Franz Garsonbke, CTO da Rachio, empresa que fabrica irrigadores que podem ser controlados via Wi-Fi, destaca que a iniciativa da AWS ajudará a companhia a analisar condições ambientais para adaptar o funcionamento do aparelho, reduzindo, assim, o consumo de água e oferecendo um sistema de irrigação mais eficiente. "Nossos aplicativos poderão utilizar os recursos da AWS IoT para verificar o último relatório de estado do controlador do irrigador e definir se ele passará mais tempo aguando o jardim e quanta água terá que usar para isso", explica Garsonbke.

Ecossistema

Outra aposta é que a plataforma será oferecida na modalidade pay-as-you-go. Dessa forma, os interessados só pagam por aquilo que utilizam, enquanto dispõem de um intermediário capaz de lidar com todo o trabalho pesado de conectar milhares de dispositivos simultaneamente e coletar, analisar e enviar ações continuamente a partir dos dados gerados.

Marco Argenti, vice-presidente das divisões mobile e de internet das coisas na AWS, destaca que, com o AWS IoT, o objetivo é criar todo um ecossistema composto por fabricantes, provedores de serviço e desenvolvedores de soluções. "[Dessa forma] eles poderão conectar seus produtos à nuvem numa escala maior, além de tomar ações baseadas nos dados coletados e criar toda uma nova classe de aplicações que interagem com o mundo físico", destaca.

Para gerenciar tanta informação e processamento de dados, a AWS anunciou uma aliança com a Intel que culminou com o desenvolvimento do X1. Trata-se de um hardware com nada menos que 2 TB de memória, capaz de realizar análises em tempo real de forma muito mais lisa. O equipamento traz o processador Xeon E7 - primeiro uso real do componente no mercado de infraestrutura como serviço.

Adesão

Os interessados no sistema já podem encontrar informações de "Starter Kits" de desenvolvimento da AWS IoT disponíveis no site da companhia. Lá também são oferecidos SDKs para dispositivos específicos e instruções de como se conectar à plataforma recém-lançada.

* O jornalista viajou a convite da AWS.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.