Amazon compra gigante do e-commerce do Oriente Médio

Por Redação | 28.03.2017 às 13:27

O poder de fogo da Amazon no mercado ocidental é indiscutível. E agora, após meses de negociação, a empresa de Seattle volta seus olhares para o Oriente Médio, anunciando, finalmente, a compra da gigante do e-commerce Souq.com. O negócio marca o primeiro grande investimento de Jeff Bezos em um mercado onde o varejo eletrônico ainda é bastante incipiente.

Apesar da grande expectativa, entretanto, o valor do negócio não foi revelado. Na última semana, veio a informação de que a companhia recusou uma oferta de compra de US$ 800 milhões da Emaar Malls PJSC, a maior operadora de shopping centers do mundo, e, em sua mais recente rodada de investimentos, a Souq foi avaliada em US$ 1 bilhão. O montante entregue pela Amazon, portanto, deve ser ainda maior.

Sediada em Dubai, a companhia opera em países como Arábia Saudita, Egito e Emirados Árabes Unidos e tem cerca de 23 milhões de visitas por mês. Trata-se da companhia de tecnologia mais valiosa da região e citada por muitos como a “Amazon do Oriente Médio”, pois opera de maneira semelhante à gigante.

A negociação entre ambas, inclusive, não é novidade e data desde meados do ano passado. Em janeiro, rumores indicaram que a Amazon havia se afastado das negociações após não chegar a um acordo com a Souq e o Goldman Sachs, apontado pela varejista como a responsável por levantar as propostas de compra. Em algum momento, entretanto, as conversas se reiniciaram e resultaram na aquisição que agora é revelada.

O valor estimado também coloca a compra como a maior já realizada pela Amazon nos anos recentes. Em 2014, a companhia adquiriu o serviço de streaming Twitch por US$ 970 milhões, e existe potencial para que a atual transação tenha um valor ainda maior. Comentando o negócio, a gigante do e-commerce disse apenas que ela e a Souq compartilham o mesmo ideal quando o assunto é comércio eletrônico, e, sendo assim, a união deve ser muito interessante para ambas.

Detalhes sobre o funcionamento do negócio daqui em diante também não foram revelados. Levando em conta a força da marca, é bastante improvável que a Amazon assuma as operações da Souq no Oriente Médio sob seu nome. Em vez disso, ambas devem seguir de maneira independente.

Fonte: Bloomberg