Amazon cede edifício temporariamente para famílias desabrigadas em Seatlle

Por Redação | 15 de Abril de 2016 às 08h20

A Amazon anunciou uma parceria com a organização não governamental de Seatlle Mary's Place para abrigar famílias que estão sem moradia. A gigante do varejo está oferecendo, a partir da próxima segunda-feira (18), um prédio vazio de sua propriedade como refúgio temporário para 200 pessoas desabrigadas .

O edifício era originalmente um hotel e mais recentemente serviu de moradia para estudantes da Cornish College of the Arts. A aquisição da propriedade pela Amazon se deu em 2014, e o objetivo é demolir a construção em 2017 para transformá-la em mais um ambiente corporativo da companhia.

A iniciativa se deu por conta de um alerta de estado de emergência do prefeito Ed Murray sobre a situação de pessoas sem teto na cidade, e como a construção do novo prédio só acontecerá daqui um ano, a Amazon quis investir no auxílio à sua cidade natal. "Ao longo dos últimos meses, temos trabalhado com o gabinete do prefeito Ed Murray e com a Mary's Place. Vimos uma oportunidade única para ajudar centenas de mulheres, crianças e famílias sem abrigo", declarou a companhia.

Essa decisão faz parte de um recente ativismo da Amazon para auxiliar no desenvolvimento da cidade, que sofreu um aumento de 19% no número de desabrigados desde o ano passado. Sobre o auxílio da companhia, o prefeito Ed Murray afirmou em entrevista que o problema da cidade deve ser resolvido em parceria, já que nem o poder público, tampouco organizações não governamentais, têm condições de tomar a frente das dificuldades de forma independente.

Durante o período de um ano, o prédio servirá como abrigo para entre 60 e 70 famílias, incluindo animais de estimação em alguns casos. Cada família terá seu próprio quarto com banheiro, e contará com duas salas de estar e cozinha em comum, além de um salão de jogos para as crianças. Outras empresas estão ajudando no processo de mudança das famílias doando móveis, roupas de cama e outros utensílios para casa. A Amazon espera ter outro imóvel para abrigar as pessoas ao fim deste período de um ano.

Via: CNN