Agora a AWS vai (literalmente) buscar os dados da sua empresa de caminhão

Por Rafael Romer | 30 de Novembro de 2016 às 18h42
photo_camera Rafael Romer/Canaltech

De Las Vegas, Estados Unidos*

A gigante de serviços de nuvem Amazon Web Services (AWS) está fazendo todos os esforços possíveis para convencer empresas de que migrar dados on-premises para a nuvem é o futuro: mesmo que isso signifique (literalmente) buscar esses dados de caminhão no data center do cliente.

A empresa anunciou nesta quarta-feira (30), durante o AWS re:Invent, o lançamento do serviço Snowmobile, um caminhão-infraestrutura com capacidade de armazenamento de 100 Petabytes para migração de informações para a nuvem.

Já rodando nos Estados Unidos, os caminhões serão levados até o data center de clientes, onde usarão uma fibra dedicada para a transferência dos dados entre os ambientes, ao custo de US$ 0,50 por GB de dado/mês. Na sequência, os dados poderão ser levados de volta para os data centers da própria AWS, onde empresas poderão trabalhar suas informações com analytics avançados, por exemplo.

Só para ter uma ideia do volume de dados que a AWS espera movimentar com a infraestrutura, a transferência de 1 Petabyte entre dois ambientes com uma conexão dedicada de 10 Gbps levaria aproximadamente 26 anos para ser concluída. Com dez Snowmobiles, a companhia afirma que o processo poderá ser feito em apenas seis meses.

"Quando nós começamos a AWS, a noção e um Exabyte de dados parecia loucura. Hoje, um EB é muito comum - é surpreendente a quantidade de grandes empresas e startups bem sucedidas que coletam esse volume de dados", comentou Andy Jesse, CEO da AWS.

Para as empresas com necessidades mais modestas, a companhia anunciou também a segunda geração do seu serviço de storage híbrido Snowball, o Snowball Edge - que traz o dobro do armazenamento da geração anterior, com 100 TB de storage.

Com a nova versão, companhias poderão agora sincronizar seus dados no Snowball Edge automaticamente com o simple storage (S3) da AWS, evitando a necessidade de manter uma redundância on-premises das informações por segurança enquanto a transferência para a nuvem não for completada.

Os equipamentos também poderão ser organizados em clusters para transferência entre múltiplas unidades e terão capacidade de processamento de dados própria, com a qual clientes podem começar a implementar analytics básicos no local. Quando o storage de dados for completado, clientes podem reenviar as unidades para a AWS para extração das informações e a aplicação de analíticos avançados.

O preço e disponibilidade do novo Snowball Edge não foram anunciados.

*O jornalista viajou a convite da AWS

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.