Activision Blizzard adquire desenvolvedora de Candy Crush por US$ 5,9 bilhões

Por Redação | 03.11.2015 às 11:14
photo_camera Reprodução

Candy Crush pode não estar mais em seu auge e longe de ser o jogo do momento, mas ainda é uma marca valiosa — muito valiosa. Tanto que incentivou a Activision Blizzard a adquirir a King Digital Entertainment, desenvolvedora do game, por nada menos do que US$ 5,9 bilhões, o que já pode ser considerada a maior compra do ano no mundo da tecnologia.

A aquisição ainda depende da aprovação dos acionistas da King e do governo irlandês, mas a expectativa é que todo esse processo burocrático seja finalizado em meados de 2016, conforme a própria Activision Blizzard destacou. Mesmo sem que a transação esteja completa, os executivos da companhia já comemoram a novidade.

Em um comunicado à imprensa, ela afirma que, com a compra, a Activision passa a ser uma das maiores redes globais de entretenimento com mais de meio bilhão de usuários ativos mensais em 196 países. Para o CEO Bobby Kotick, esse número permite que ela tenha o potencial de alcançar as pessoas em todo o mundo a partir do dispositivo que elas desejarem. Mais do que isso, esse novo panorama vai ajudar a marca a entregar grandes jogos a um público ainda maior. Não é à toa que ele está descrevendo a Activision Blizzard como a maior e mais lucrativa empresa de entretenimento interativo.

Também pudera. Mesmo com Candy Crush Saga e Candy Crush Soda Saga não sendo mais o fenômeno que tínhamos há pouco mais de um ano, eles ainda são muito populares e passam a ser uma grande aquisição ao já extenso catálogo de sucessos da Activision, que ainda conta com Call of Duty, World of Warcraft e Guitar Hero. A chegada dos doces vai ajudar a deixar as cifras da companhia ainda mais gordas. Apenas no ano passado, a King tinha três títulos na lista dos 10 jogos mais lucrativos do iTunes e da Google Play, o que se converteu em US$ 2,1 bilhões em receita.

Com isso, a King acaba de entrar no seleto grupo de companhias que foram adquiridas por valores bilionários. Mais do que isso, ela surpreende ao mostrar que a marca está mais valiosa do que a franquia Star Wars quando a Lucasfilm foi comprada pela Disney. Na época, Mickey Mouse pagou "apenas" US$ 4,05 bilhões pelo estúdio de George Lucas e todo o legado da família Skywalker. Ainda assim, Candy Crush custou menos do que a Pixar (US$ 7,4 bi) e bem menos do que o WhatsApp (US$ 21,8 bi).

Via: Polygon, Gamasutra, Games Industry