Activision Blizzard compra a Major League Gaming por US$ 46 milhões

Por Redação | 05.01.2016 às 11:00

O e-sport ainda está engatinhando e ganhando força aqui no Brasil, mas já é algo bem grande nos Estados Unidos. Tanto que o país conta até mesmo com uma organização dedicada a gerenciar todas essas competições, a Major League Gaming. E o que ninguém imaginava era que essa instituição fosse parar nas mãos de uma gigante dos videogames.

A Activision Blizzard anunciou que comprou a MLG por nada menos do que US$ 46 milhões — cerca de R$ 185,5 milhões na cotação atual — e com isso passa a comandar as operações da liga e, conforme descreve um dos documentos obtidos pelo site eSports Observer, também todas as responsabilidades e atividades que antes eram feitas pela companhia. Isso significa que, em termos práticos, devemos ver poucas mudanças em relação ao que era feita anteriormente pela Major League Gaming, embora muitos acreditem que a nova dona vai querer dar mais destaque às suas franquias daqui para frente.

A confirmação da compra foi feita nesta segunda-feira (04), mas os rumores sobre a possibilidade da MLG passar para as mãos da Activision já vinham sendo ouvidos últimas semanas do ano passado. Ainda assim, após o anúncio, o vice-presidente sênior da divisão de e-sports da nova proprietária, Mike Sepso, disse que todos dentro da empresa estão bastante animados com a aquisição. Segundo ele, isso dará à Major League Gaming a capacidade de executar, em termos de equipe e de tecnologia, aquilo que havia sido proposto inicialmente com a criação da organização.

Major League Gaming

Um fato curioso é que, além de executivo da Activision Blizzard, Sepso também é um dos cofundadores da MLG e essa sua posição nas duas companhias foi uma das peças-chave nesta compra. Ainda assim, ele garante que a liga dedicada ao e-sport vai continuar com sua marca independente e sua equipe intocadas, fazendo com que a única diferença seja o selo Activision que mostra que ela não está mais sozinha. Pode parecer um pouco estranho esse tipo de abordagem, mas já é algo esperado vindo da companhia, que adotou a mesma estratégia quando adquiriu a Blizzard, em 2008.

Isso não quer dizer que algumas mudanças não vão ocorrer. Sepso afirma que a Major League Gaming não terá mais um CEO em seu quadro de funcionários, ainda que a última pessoa a ocupar o cargo, Sundence diGiovanni, continue dentro da empresa e fazendo exatamente a mesma coisa de antes. Segundo o executivo da Activision, trata-se apenas de uma mudança semântica nos cargos e não operacional.

Por fim, ele explicou que nada vai mudar para os jogadores e que a MLG vai continuar empenhada em fazer novas parcerias com estúdios para ajudar no crescimento do cenário do e-sport nos Estados Unidos. De acordo com ele, o objetivo da organização é criar a ESPN dos jogos digitais e, para isso, é preciso que todo mundo trabalhe em conjunto.

Via: e-Sports Observer, Wired