Acionistas votam a favor da venda da DirecTV para a AT&T

Por Redação | 29 de Setembro de 2014 às 12h12

A DirecTV está um passo mais próxima de ser adquirida pela operadora americana AT&T. Em parecer divulgado na última sexta-feira (26), 99% dos acionistas da empresa votaram a favor da união entre as duas companhias. O número representa um total de 77% dos controladores da companhia de televisão, que também opera no Brasil por meio da Sky. As informações são do Ars Technica.

O negócio, porém, ainda depende de aprovação regulatória de autoridades americanas, mas a previsão da operadora de telecomunicações é otimista. A ideia é concluir o negócio até o fim do primeiro semestre do ano que vem, como forma de competir com a iminente fusão entre a rival Comcast e a Time Warner Cable.

Além disso, a AT&T afirma que a união permitirá uma das maiores expansões de serviço de sua história. Ao adquirir um novo portfólio de clientes, a companhia promete expandir sua rede de fibra óptica para mais dois milhões de lares americanos, o que também inclui áreas rurais ou mais isoladas do país. Fora isso, também há uma expectativa de aumento do limite de uso para conexões móveis, dando mais flexibilidade aos seus usuários.

Embora seja vista com bons olhos pelos acionistas, a possível fusão entre as companhias está gerando uma série de críticas. Grupos de defesa do consumidor, por exemplo, indicam que, apesar de ter revelado os ambiciosos planos de expansão de sua cobertura, a DirecTV não disse quanto vai investir em fibra óptica, de forma que não é possível saber se o aumento alardeado é possível de ser realizado.

Muito pelo contrário, tais instituições acreditam que a ideia de expandir o limite de uso de dados das conexões celulares tem a ver, justamente, com um sucateamento da banda tradicional. A ideia da união entre os serviços de telecomunicação e TV expandiria ainda mais a oferta mobile da AT&T, deixando quem utiliza internet banda larga na mão.

Além disso, a proposta de união preocupa outros segmentos de mercado, como a Netflix. O serviço de streaming já fez apelos aos órgãos reguladores americanos e pediu que sejam estabelecidas normas para neutralidade da internet. O temor é que a AT&T acabe regulando a banda disponível para serviços de streaming externos enquanto privilegia suas próprias plataformas de televisão sob demanda, atraindo mais clientes para si e os afastando da concorrência.

Se aprovada, a negociação será a segunda maior já realizada pela AT&T. Com um valor estimado em US$ 49 bilhões, a transação fica atrás apenas da compra da Bell South, realizada em 2006 por US$ 85 bilhões. Apesar das críticas, a empresa espera que a aprovação seja realizada sem problemas.

Fonte: http://arstechnica.com/business/2014/09/99-percent-of-directv-stockholders-say-yes-to-att-takeover/

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!