YouPIX: Informalidade no setor ainda dificulta monetização de blogs

Por Rafael Romer | 06.07.2013 às 14:48 - atualizado em 08.07.2013 às 09:08

A dificuldade da monetização da blogosfera foi tema do debate de uma das mesas do Festival YouPIX 2013, realizado entre os dias 4 e 5 de julho, em São Paulo. Com participação de diversos representantes de agências de publicidade e conteúdo, o painel discutiu as dificuldades de um setor que, apesar de grande, ainda sofre com certo amadorismo na hora de se fazer negócios. "O trabalho na internet ainda não está atingindo o potencial que ele tem principalmente porque existe uma informalidade muito grande no setor", afirmou Ivo Neuman, editor do blog Não Salvo e gerente do site O Observatório da Blogosfera.

Segundo Neuman, grande parte dos blogs são criados por pessoas que simplesmente têm vontade de escrever e publicar conteúdo, mas muitas vezes sem os conhecimentos mínimos de negócios. Logo, esses blogueiros se veem na posição de ter que negociar banners e participar de eventos sem ter know how do negócio, o que acaba levando à má condução do trabalho.

Ao invés de tentar combater o amadorismo, grande parte dos integrantes da blogosfera ainda escolhe ficar na "marginalidade", sem profissionalizar o negócio – o que acaba prejudicando as iniciativas de agências e investidores na área. "Blog é assim, nem todo mundo quer se profissionalizar, mas quem quiser ganhar dinheiro de verdade, não mixaria, vai ter que abrir uma firma, vai ter que emitir nota. Não tem outro jeito", explica o consultor juridico e criador d’O Implicante, Fernando Gravz.

youpix

Painel discute profissionalismo dos blogs no Brasil (Foto: Rafael Romer/Canaltech)

Outro agravante neste cenário é a falta de regulamentação de negócios no mercado de blog. Diferente de grandes veículos, que têm seus departamentos comerciais organizados e regulamentados, muitos blogs fazem tudo de maneira descentralizada, sem uma organização que facilite o contato e o negócio. "O cara de mídia até pode querer investir em um blog, mas ele precisa de um meio organizado para fazer", diz Ian Black, fundador da agência New Vegas.

O cenário de mudança, entretanto, não se deve aplicar somente aos blogs, mas também são necessárias mudanças de mentalidade de grandes agências. De acordo com o consultor de mídias sociais, Éden Wiedemann, ainda há um preconceito em grandes agências, que não têm interesse em repasse de verba para blogueiros. "Enquanto a noção de quem tem dinheiro for a de que do outro lado tem um guri, alguém que não leva a sério, fica complicado", diz Gravz.

O consultor jurídico também critica o corporativismo de algumas agências, que atrapalha a relação delas com os blogs. "Vai trabalhar em agência não quem tem talento, mas quem tem tantos seguidores no Twitter. Esse mercado ainda é impregnado de gente com essa cabeça", fala.

Por enquanto, a falta de organização do setor demanda a ação de intermediários entre blogs e agências, que fazem o contato com ambos os lados para facilitar os negócios. "É complicado, todo mundo tem um pensamento diferente e uma maneira diferente de tratar o comercial. É muito raro surgir até um contrato entre agência e blog, a informalidade já parte daí", exlica Cristiano Catupiry, social mídia e intermediário do meio. "Eu tento organizar, trabalho com uma série de blogs e tentei padronizá-los comercialmente. Eu fico no meio do caminho entre o ego do blogueiro e da agência".

Outra tendência do mercado que pode modificar esse cenário é a compra e venda de publicidade através de plataformas automatizadas, que poderão substituir a interação one-to-one do negócio. As soluções podem ser essenciais para facilitar o relacionamento e dar o pontapé inicial em contatos de negócios entre blogs e agências.

O que fazer?

blog

O primeiro passo para o blogueiro conseguir um trabalho comercial é respeitar as regras do negócio: publicar coisas no horário certo, ter números auditados, ser flexível com o conteúdo, participar sugerindo conteúdo (e não apenas atendendo demanda do cliente), todas essas dicas são passos para tornar a relação com agências mais profissional e fácil.

Outro fator essencial é a criação de um mídia kit honesto, que respeite regras e métricas exigidos pelo mercado. "Tem muita gente que só joga número no mídia kit. Qualquer pessoa que trabalha com social sabe que número você consegue fraudar fácil", explica Éden. "É muito importante ali você transferir quem é o blogueiro por trás, qual o conteúdo, sobre o que você tem relevância, que cases de sucesso você tem, que coisas legais você tem. É isso, eu quero saber qual a importância que você tem para o seu leitor".

Também é importante que o blogueiro tenha noções de benchmarking, saber em quem, como e quanto as agências estão investindo em veículos semelhantes ao seu. "Muitas vezes o setor no qual você está atuando não tem muito anunciante e fatalmente não vai ter sucesso comercial", diz.

Apesar de diversos blogs monetizados não agirem assim, o ideal também é que o blog tenha um profissional separado da produção de conteúdo para o meio comercial. "Muito da coisa amadora que a gente vê é isso, o cara é muito bom de escrever, mas ele não é bom no comercial", explica Black. As opções para esses blogueiros são ou abrir um departamento comercial próprio ou terceirizar essa atuação, a exemplo de blogs como o Jovem Nerd, considerado um case de boa administração de conteúdo e comercial.