Yahoo! revela dados sobre processo contra vigilância do governo americano

Por Redação | 12 de Setembro de 2014 às 14h35

Por meio de um post em seu blog nesta quinta-feira (11), o Yahoo! revelou que foi ameaçado pelo governo dos Estados Unidos a pagar US$ 250 mil por dia por se recusar a divulgar dados de seus usuários para a Agência de Segurança Nacional (NSA). As informações seriam captadas pelo programa de vigilância PRISM.

A revelação veio após a gigante da internet conseguir uma liberação de 1.500 páginas de documentos, até então secretos, sobre uma batalha judicial que travou com o governo americano há sete anos por causa da expansão da lei de vigilância.

Segundo a empresa, o governo os EUA alterou em 2007 a lei de demanda de uma informação-chave dos serviços do usuário. Como o Yahoo! se recusou a cumprir a solicitação por considerar "inconstitucional e pouco específica", a companhia desafiou a decisão das autoridades locais, mas perdeu a luta travada no Tribunal de Vigilância de Inteligência Estrangeira (FISC, na sigla em inglês), que é o responsável por supervisionar os pedidos do governo para as ordens de vigilância. Forçado a entregar os dados, o Yahoo! recorreu, mas o pedido foi novamente rejeitado pelo Tribunal.

Rob Bell, um representante legal da entidade, afirmou que a divulgação dos documentos secretos nesta semana é "uma vitória importante para a transparência", e que pretende promover mais debates sobre a relação entre privacidade e os processos e coletas de informações realizados pelos órgãos de inteligência do governo norte-americano. Para Bell, os arquivos liberados mostram o esforço necessário para desafiar os órgãos de vigilância, especialmente a NSA. "Em um ponto, o governo dos Estados Unidos ameaçou a imposição de US$ 250 mil por dia, mas no final se recusou a cumprir", comentou.

Bell ainda garantiu que a empresa mantém como compromisso a proteção dos dados online dos usuários, e afirmou que a companhia continuará a "contestar pedidos e leis que considerar ilegais ou pouco específicas".

Nos documentos vazados no ano passado pelo ex-agente da NSA, Edward Snowden, foi possível verificar como a agência tinha conseguido acesso a dados de usuários a partir de uma lista que incluía empresas de alto perfil e de serviços online - incluindo o Yahoo -, como parte do programa de vigilância PRISM.

Fonte: http://yahoopolicy.tumblr.com/post/97238899258/shedding-light-on-the-foreign-intelligence-surveillance

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.